sicnot

Perfil

Mundo

John Kerry diz que "é provável" reunião com MNE russo em breve

O secretário de Estado norte-americano considerou esta segunda-feira provável uma reunião em breve com o seu homólogo russo sobre a Síria, quando as duas potências discutem há várias semanas uma eventual cooperação militar para combater os jihadistas naquele país.

"De facto, estamos neste momento em conversações, que decorrem há várias semanas, e espero que estejamos prestes a concluí-las, de uma forma ou de outra", declarou John Kerry numa conferência de imprensa em Nairobi.

"Nos próximos dias, as nossas equipas (norte-americana e russa) vão reunir-se e, em função do resultado das conversações, é muito possível, provável mesmo, que o ministro dos Negócios Estrangeiros (Serguei) Lavrov e eu nos encontremos", acrescentou.

O chefe da diplomacia norte-americano precisou, contudo, que tal decisão será tomada em função do ponto em que Washington e Moscovo estiverem nos próximos dias.

Kerry emitiu estas declarações quando lhe perguntaram a sua opinião sobre o anúncio hoje pelo Governo iraniano do fim dos ataques aéreos na Síria pela Rússia a partir do aeródromo militar iraniano de Hamedan.

O governante norte-americano não quis comentar esse anúncio, dizendo aos jornalistas que deveriam abordar o assunto com os dirigentes russos e iranianos.

Os Estados Unidos e os seus parceiros da coligação internacional que combate ao Daesh efetuam há dois anos bombardeamentos sobre a Síria e o Iraque, enquanto a Rússia realiza ataques aéreos desde há quase um ano, para apoiar as forças do Presidente sírio, Bashar al-Assad.

A entrada em jogo de Moscovo na guerra na Síria nunca dissuadiu John Kerry de procurar uma via de cooperação entre Estados Unidos e Rússia.

Numa visita de Kerry a Moscovo em meados de julho, as duas potências chegaram a acordo sobre "medidas concretas", que foram mantidas confidenciais, para salvar o cessar-fogo e combater os jihadistas.

O secretário de Estado norte-americano prometeu no fim de julho anúncios para o início de agosto sobre esta eventual colaboração militar entre os dois países.

A 16 de agosto, o porta-voz do departamento de Estado, Mark Toner, deu igualmente conta das discussões em curso: "Continuamos a falar com a Rússia (...) sobre um cessar-fogo nacional sério, uma abertura total à ajuda humanitária e uma retomada das negociações (entre o regime sírio e a oposição) em Genebra".

O porta-voz referia-se ao plano internacional para encontrar uma solução política para a guerra na Síria.

Lusa

  • Polémica "Supernanny" em debate hoje na SIC
    2:25
  • Será este o "momento mais Ronaldo" de sempre?

    Desporto

    Cristiano Ronaldo é protagonista de mais um momento que corre nas redes sociais. Depois de marcar o sexto golo do Real Madrid frente ao Desportivo da Corunha, o jogador português ficou ferido no rosto e foi obrigado a abandonar o campo. Mas antes, mesmo com a cara ensanguentada, pediu um telemóvel com "espelho" para ver a extensão do corte. Há quem brinque com a situação, dizendo que Ronaldo levou a sua obsessão com a sua imagem a um novo nível, mas há também quem desvalorize a situação.

    SIC

  • Democratas aceitam compromisso para acabar com shutdown nos EUA

    Mundo

    Os senadores democratas aceitaram esta segunda-feira um acordo orçamental provisório que vai permitir acabar com a paralisação parcial do Governo federal dos Estados Unidos, situação conhecida como shutdown, anunciou o líder da minoria democrata no Senado, Chuck Schumer.

  • Refeição de 1.100 euros em Veneza

    Mundo

    O centro de Veneza oferece os mais variados restaurantes. Com menu obrigatório, sem menu, com taxas, sem taxas, sentando ou em pé. Depois há aqueles restaurantes que cobram 1.100 euros por cinco pratos acompanhados por água. O caso aconteceu com quatro turistas japoneses, que depois de pagarem a conta, apresentaram queixa às autoridades. O presidente da Câmara da cidade italiana já disse que ia investigar a situação e, caso se confirmasse, prometeu que iria castigar os responsáveis.

    SIC