sicnot

Perfil

Mundo

Kerry insiste no envio de "força de proteção" da ONU para o Sudão do Sul

(Arquivo)

O secretário de Estado norte-americano, John Kerry, insistiu esta segunda-feira na necessidade de enviar uma "força de proteção" da ONU, composta por tropas africanas, para a capital do Sudão do Sul, palco de violentos combates em julho.

"Não existe qualquer dúvida de que devemos avançar com o destacamento da força regional autorizada pelo Conselho de Segurança da ONU", disse Kerry à imprensa após um encontro com cinco ministros dos Negócios Estrangeiros da região na capital do Quénia, Nairobi.

A chefe da diplomacia queniana, Amina Mohamed, declarou que, em relação ao envio da nova força, "quanto mais cedo melhor". Na sequência dos combates em Juba no mês passado, o Quénia ofereceu-se para enviar militares para uma nova força, aprovada na ONU a 12 de agosto, juntamente com a Etiópia e o Ruanda.

Os cerca de 4.000 militares da nova força juntar-se-ão aos 12.000 que integram a Missão das Nações Unidas no Sudão do Sul (UNMISS).

Kerry sublinhou que "não se trata de uma força de intervenção, mas de uma força de proteção com um mandato muito claro para lhe permitir proteger a população".

"Isto é um complemento da soberania e dos esforços do próprio Sudão do Sul", adiantou, dando resposta a preocupações de Juba, que inicialmente recusou e depois colocou reticências ao destacamento daquela força, alegando que minava a soberania do país.

Combates em Juba no início de julho opuseram tropas leais ao Presidente Salva Kiir aos ex-rebeldes do vice-Presidente Riek Machar, causando pelo menos 300 mortos e mais de 70.000 deslocados.

Os combates colocaram em risco a aplicação do acordo de paz assinado em agosto de 2015 entre Kiir e Machar para acabar com uma guerra civil devastadora iniciada no final de 2013, menos de dois anos depois de o Sudão do Sul aceder à independência.

Machar fugiu após os combates para a vizinha República Democrática do Congo, dizendo-se pronto a regressar a Juba quando a nova força de proteção da ONU for destacada para a capital do Sudão do Sul.

Lusa

  • A história de João Ricardo
    10:37
  • Parceiros sociais começam hoje debate sobre salário mínimo

    Economia

    Os parceiros sociais reúnem-se hoje com o ministro do Trabalho, Vieira da Silva, para iniciarem a discussão sobre a atualização do salário mínimo para o próximo ano, com as centrais sindicais e confederações patronais a assumirem posições divergentes.Em cima da mesa estarão as propostas das centrais sindicais, com a CGTP a exigir 600 euros a partir de janeiro de 2018 e a UGT a reivindicar 585 euros como ponto de partida para a negociação.

  • Os 72 golos de mais uma noite de Liga Europa

    Liga Europa

    Os 16 avos-de-final da Liga Europa começam a ganhar forma. São já 16 as equipas apuradas para a próxima fase da competição, entre elas o Sporting de Braga, que somou mais uma vitória. Em sentido inverso, o Vitória de Guimarães saiu derrotado de Salzburgo e ficou mais longe da qualificação. A 5.ª jornada da fase de grupos jogou-se esta quinta-feira e ao todo marcaram-se 72 golos. Estão todos aqui, para ver ou rever.

  • "No fim, logo se vê" se foram quatro anos de uma legislatura perdida
    1:28

    País

    Pedro Passos Coelho acusa o Governo de perder uma legislatura. O presidente do PSD diz que "no fim, logo se vê" se foram ou não quatro anos de oportunidade perdida para o país. No último Conselho Nacional antes das eleições diretas do partido, Passos acusou o Executivo de perder o rumo e apontou os casos do Infarmed e do aumento do preço da água como exemplos de desorientação.

  • Marcelo apoia novo Mecanismo Europeu de Proteção Civil
    0:44

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa considera o novo Mecanismo de Proteção Civil uma ideia muito boa, que tem todo o apoio do Governo e do Presidente da República. Marcelo apenas lamenta que o modelo não existisse durante os incêndios deste ano.