sicnot

Perfil

Mundo

Mulher de líder de oposição da Venezuela denuncia ameaça de morte ao marido na prisão

A mulher do líder da oposição venezuelana Leopoldo Lopez disse no domingo à noite que o seu marido recebeu uma ameaça de morte de guardas prisionais.

Lopez, um dos mais severos opositores ao Presidente Nicolas Maduro, foi detido em fevereiro de 2014 após uma onda de protestos contra o Governo que levaram à morte de 43 pessoas. O ativista está atualmente a cumprir uma pena de 14 anos.

De acordo com Lilian Tintori, um sargento "disse em frente a outros guardas que Leopoldo precisava de ser morto e se lhe dessem a ordem, ele próprio o faria".

Lopez perguntou ao homem porque é que disse que "o sargento disse que estava apenas a responder a ordens de cima", explicou Tintori num vídeo publicado na sua conta de Twitter.

A mulher de Lopez disse ainda que pediu para ter um encontro "urgente" com o ministro da Defesa Vladimir Padrino Lopez para discutir "o que se passa" na prisão militar de Ramo Verde, nos arredores de Caracas.

Lopez declarou-se inocente várias vezes do crime pelo qual foi condenado, instigação de violência nos protestos contra Governo em 2014.

A sentença do economista de 45 anos foi confirmada no tribunal de recurso a 12 de agosto.

A sentença, lida após um julgamento à porta fechada, foi condenada pelas Nações Unidas, Estados Unidos e União Europeia.

A oposição venezuelana, que culpa Maduro pela situação de caos que o país atravessa, está envolvida numa batalha para o retirar do poder, através de um referendo.

A Venezuela, com as maiores reservas mundiais de petróleo, é fustigada por uma severa escassez de alimentos, medicamentos e produtos básicos, situação que tem gerado pilhagens e violência.

Lusa

  • Caravana com cinzas de Fidel chega este sábado a Santiago de Cuba
    2:01
  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.