sicnot

Perfil

Mundo

Turquia sem pistas sobre autoria de ataque a casamento que fez 54 mortos

O primeiro-ministro turco, Binali Yildirim, declarou esta segunda-feira que a Turquia não tem "qualquer ideia" sobre quem foram os responsáveis pelo ataque a um casamento curdo, numa cidade próxima da fronteira síria, que fez 54 mortos.

"Não temos qualquer ideia sobre quem terão sido os perpetradores do ataque. Infelizmente, as informações iniciais sobre quem cometeu o atentado, em nome de que organização, não eram corretas", disse o governante à imprensa em Ancara.

Os comentários do chefe do executivo turco contradizem aparentemente os emitidos pelo Presidente, Recep Tayyip Erdogan, que declarou no domingo que o bombista era uma criança com idade entre os 12 e os 14 anos agindo sob as ordens do Daesh.

Yildirim rejeitou os "rumores" sobre se o atentado foi protagonizado por uma criança ou um adulto e insistiu em que as forças de segurança continuam o seu trabalho de apurar os responsáveis.

"Quem esteve por detrás do ataque será identificado, que não haja dúvidas quanto a isso", frisou.

O atentado, ocorrido no passado sábado numa festa de casamento ao ar livre na cidade de Gaziantep, no sudeste do país, foi o mais mortal este ano.

O país tem sofrido nos últimos 12 meses uma série de atentados atribuídos a ativistas curdos e ao Daesh.

Em junho, pelo menos 47 pessoas morreram num triplo atentado bombista suicida e tiroteio no aeroporto Ataturk, em Istambul, cuja autoria as autoridades atribuíram ao Daesh.

  • BE diz que é urgente preparar o país para a saída do euro
    1:10

    País

    Catarina Martins diz que é urgente preparar o país para o cenário de saída do euro. No final da reunião da mesa nacional do Bloco de Esquerda, a coordenadora do partido criticou o encontro de líderes europeus em Roma e disse ainda que a Europa da convergência chegou ao fim.

  • "Mais UE não significa mais Europa"
    0:50

    País

    O secretário-geral do PCP insiste nas críticas à União Europeia. Um dia depois da comemoração dos 60 anos do Tratado de Roma, Jerónimo de Sousa defendeu, no Seixal, que o modelo europeu está esgotado e prejudica vários países, incluindo Portugal.

  • Aplicação WhatsApp acusada de permitir conversas secretas entre terroristas
    1:45
  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".