sicnot

Perfil

Mundo

Falta de tradutor adia julgamento de acusados de atentado de Banguecoque há um ano

O julgamento de hoje de dois uigures acusados de terem colocado uma bomba num templo da capital da Tailândia há um ano foi adiado devido à ausência de um tradutor da língua daquela minoria muçulmana turcófona da China.

Os suspeitos Mohamad Bilal e Yusufu Mieraili, identificados como uigures, minoria muçulmana da região chinesa de Xinjiang, foram acusados, em novembro último, de dez crimes, incluindo conspiração, homicídio premeditado e posse de explosivos, na sequência do atentado perpetrado contra um popular templo hindu no 'coração' de Banguecoque, em agosto de 2015, que fez 20 mortos e mais de uma centena de feridos.

O juiz do tribunal militar anunciou hoje o adiamento do julgamento até à próxima audiência prevista, marcada para 15 de setembro, segundo uma jornalista da agência AFP que esteve presente na sala de tribunal, embora interdita de tirar apontamentos.

O único tradutor dos suspeitos, um uzbeque, foi detido por crimes relacionados com droga em junho e encontra-se atualmente em fuga e a defesa não conseguiu encontrar um novo tradutor a tempo, segundo alegou hoje o advogado de ambos.

Os dois acusados figuram como os únicos detidos pelo atentado que a polícia considera ter sido uma represália de grupos de crime organizado relativamente a uma suposta campanha contra o tráfico de seres humanos.

A investigação, com irregularidades e declarações contraditórias por parte da polícia e da junta militar, alimentou uma série de especulações sobre os motivos por detrás do atentado, cuja autoria não foi reivindicada.

Uma das teorias ligava o ato terrorista à deportação para a China, semanas antes, de uma centena de uigures que esperavam poder viajar para a Turquia em busca de asilo, hipótese alimentada por o templo onde ocorreu o ataque ser muito popular entre os turistas chineses.

Lusa

  • "Já só lhes resta uma coisa: bisbilhotar comunicações privadas"
    2:57

    Caso CGD

    O primeiro-ministro diz que o PSD atingiu o grau zero da política, quando chegou à "bisbilhotice" de querer ver as mensagens trocadas entre o ministro das Finanças e António Domingues. A polémica da Caixa Geral de Depósitos voltou a marcar o debate quinzenal, com António Costa a garantir que nunca esteve em causa a entrega de declarações da administração. Já o PSD e o CDS a acusaram o Governo de violar as regras da transparência e de oprimir os direitos da oposição.

  • Compensa comprar a granel?
    8:39
  • Técnica de defesa contra aperto de mão de Donald Trump
    1:39
  • Vídeo mostra aterragem de Harrison Ford que quase causou um desastre

    Mundo

    Harrison Ford quase provocou um grave acidente quando, ao pilotar um dos seus aviões, falhou a pista de aterragem e esteve muito perto de chocar contra um um Boeing 737, com mais de 100 pessoas a bordo. O incidente com o ator norte-americano, considerado um piloto experiente, aconteceu na passada segunda-feira, dia 13, no Condado de Orange, na Califórnia, e o momento foi captado em vídeo.

  • Descoberta nova espécie de primatas em Angola

    Mundo

    Uma equipa britânica de cientistas descobriu uma nova espécie de galagos anões, um primata pertencente à família dos galonídeos - comum na África subsariana -, na floresta ameaçada da Kumbira, localizada na província do Cuanza Sul, noroeste de Angola.

  • Vestidos da princesa Diana em exposição
    1:29

    Mundo

    As roupas mais emblemáticas da princesa Diana vão estar em exposição no Palácio de Kensington, em Londres, a partir de sexta-feira. O objetivo é mostrar a evolução do estilo da princesa de Gales, considerada um dos maiores ícones de moda de sempre.