sicnot

Perfil

Mundo

Mausoléus destruídos em Timbuktu foram escolhidos para dar exemplo

O 'jihadista' maliano escolheu destruir os mausoléus de Timbuktu mais frequentados "para que servissem de exemplo", revelaram hoje as audições de testemunhas de acusação no segundo dia deste processo histórico no Tribunal Penal Internacional (TPI).

Acusado de ter participado na destruição de nove de 16 mausoléus e da porta da mesquita Sidi Yahia em junho e julho de 2012, Ahmad al-Faqi al-Mahdi "escolheu os túmulos onde a maioria das 'transgressões' tinha ocorrido", segundo o investigador que conduziu o seu interrogatório em 2015 no Níger.

Al-Mahdi, que estava na altura à frente da brigada islâmica dos costumes, a Hisbah, deveria acabar com as concentrações e as orações naqueles locais, consideradas "um defeito visível", disse a primeira testemunha de acusação.

Segundo a lei islâmica, é proibido "venerar quem quer que seja que não Deus", bem como construir mausoléus sobre as sepulturas, precisou.

As personagens veneradas a que dizem respeito os mausoléus valem a Timbuktu a designação de "cidade dos 333 santos", reconhecidos como protetores da cidade e a quem se apela para proteger casamentos ou para pedir chuva, de acordo com especialistas malianos do islão.

O conjunto de mausoléus e outros locais religiosos de Timbuktu foi declarado património da humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) em 1988.

Al-Mahdi, o primeiro acusado de crimes de guerra pela destruição de património da humanidade, pediu na segunda-feira perdão pelos seus atos e declarou-se culpado.

O réu era membro do Ansar Dine, um dos grupos 'jihadistas' que controlaram o norte do Mali durante cerca de 10 meses em 2012 até ser desencadeada uma intervenção militar internacional por iniciativa da França.

A UNESCO já restaurou os túmulos destruídos em Timbuktu, situada a 1.000 quilómetros a nordeste da capital do Mali, Bamako.

Lusa

  • Cerca de 100 mortos e dezenas de desaparecidos após sismo na Indonésia
    1:24
  • As camisolas de Natal da família real britânica

    Mundo

    O espírito natalício invadiu ontem o Museu Madame Tussauds, em Londres. Foram reveladas as novas figuras de cera da família real britânica - cada membro enverga uma camisola de espírito festivo, com cãezinhos "reais" e "gingerbreadmen" de gosto duvidoso.

  • Os dias na Terra estão a ficar mais longos

    Mundo

    Os dias estão a tornar-se mais longos, mas impercetivelmente, porque vão ser precisos 6,7 milhões de anos para aumentarem um minuto, segundo um estudo publicado quarta-feira pela Proceedings A da Royal Society britânica.

  • As novas rotas da TAP em 2017
    1:59

    Economia

    No próximo ano, a TAP vai passar a voar para o Canadá. Além de Toronto, a companhia aérea vai também abrir cinco novas rotas para a Europa e aumentar algumas frequências. Fique a conhecer quais são.

  • Com este vamos arrancar-lhe uma lagriminha!

    Mundo

    Nesta redação, não se vive só de notícias. Também gostamos de nos emocionar com o mundo virtual. Imbuídos pela quadra natalícia, decidimos partilhar este vídeo polaco consigo. O que é preciso para o emocionar? Um tema com uma mensagem simples e que nos faça lembrar que somos todos feitos de carne e osso. Um toque de humor. Um sentimento sazonal, mas nunca em excesso. Um cão [é preciso haver sempre um cão]. Um enredo e algum suspense que nos prenda ao écran. Algo que nos faça engolir em seco. Foi isto que fez um site de vendas online com um anúncio com o título: "Inglês para principiantes". Então? Atingimos o nosso objetivo? Com ou sem lágrima?

  • Leica: a marca lendária entre os fotógrafos
    5:54
    Futuro Hoje

    Futuro Hoje

    3ª FEIRA NO JORNAL DA NOITE

    A Leica, das famosas máquinas fotográficas, abriu na semana passada a primeira loja em Portugal. Grande parte da produção da marca alemã é feita em Lousado, em Vila Nova de Famalicão, há 43 anos.