sicnot

Perfil

Mundo

Pinguim rei condecorado com a mais elevada honra militar da Noruega

Nils Olav é um pinguim, rei residente e membro honorário da Guarda Real da Noruega. Nos últimos dias, foi condecorado com um um novo título: Brigadeiro Sir Nils Olav.

O pinguim vive no Jardim Zoológico de Edimburgo, na Escócia, e é a mascote oficial da Guarda Real Norueguesa.

A história das várias condecorações remonta a 1972, quando a Guarda Real norueguesa se encontrava em Edimburgo para uma parada militar. Nessa altura, adotaram o primeiro Nils Olav - que acabou por morrer em 1987 -, o irmão do atual Sir Nils Olav. O nome Nils Olav foi dado aos dois pinguins em honra do rei Olav V da Noruega.

Em 1993, foi promovido a Sargento-mor e em 2005 tornou-se Coronel. Em agosto de 2008, Nils Olav recebeu o título de cavaleiro: uma condecoração aprovada e honrada pelo próprio rei Haroldo V da Noruega.

Cerimónia de 1993

Cerimónia de 1993

© Ian Waldie / Reuters

Agora, Sir Nils Olav foi promovido a Brigadeiro numa cerimónia especial no Jardim Zoológico de Edimburgo, que contou com mais de 50 militares noruegueses. O grau de Brigadeiro é a mais elevada honra militar na Noruega.

Barbara Smith, representante da Sociedade Real Zoológica da Escócia, disse ao jornal Metro: "este é um momento de orgulho, que representa a proximidade dos dois países".

O Brigadeiro Sir Nils Olav é assim o pássaro mais graduado do mundo.

Durante a cerimónia, o pinguim aproveitou para inspecionar os militares noruegueses.

Durante a cerimónia, o pinguim aproveitou para inspecionar os militares noruegueses.

© David Moir / Reuters

  • Mais de 50 detidos pela GNR em 12 horas

    País

    A GNR fez 51 detenções entre as 20:00 de sábado e as 08:00 de hoje, 39 das quais por condução sob efeito do álcool ou sem carta, e três por violência doméstica, segundo um comunicado hoje divulgado.

  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
  • Trump diz que Obamacare vai "colapsar"

    Mundo

    O Presidente norte-americano tentou desvalorizar a derrota política sofrida na sexta-feira no Congresso, ao desistir da revogação da lei de saúde pública do seu antecessor, conhecida como Obamacare, afirmando que esta vai colapsar por si mesma.