sicnot

Perfil

Mundo

Acusação pede 9 a 11 anos de prisão para jihadista que destruiu mausoléus no Mali

© POOL New / Reuters

A acusação pediu esta quarta-feira oficialmente uma pena de nove a 11 anos de prisão para o 'jihadista' maliano que está a ser julgado pelo Tribunal Penal Internacional (TPI) pela destruição de mausoléus em Timbuktu.

"Hoje, após dois dias de audiência e praticamente no fim deste julgamento, a acusação pede que o tribunal determine uma pena que fique entre os nove e os 11 anos de prisão", declarou Gilles Dutertre, representante da procuradora.

Acusação e defesa tinham anunciado na abertura do julgamento na segunda-feira que Ahmad al-Faqi al-Mahdi se comprometia a não recorrer se a condenação fosse equivalente à pena pedida. Este acordo não é vinculativo para os juízes, que podem decidir-se por uma pena de até 30 anos de prisão.

O acusado declarou-se na segunda-feira culpado pela destruição em junho e julho de 2012 de nove mausoléus e da porta da mesquita de Sidi Yahia, monumentos classificados com património mundial da humanidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO).

Esta pena reflete um "equilíbrio justo e considerável entre o efeito dissuasor que deve ter e a atitude" do acusado, segundo Dutertre.

Al-Mahdi, na altura dos acontecimentos chefe da brigada islâmica dos costumes, "teve um comportamento sem precedentes perante o tribunal: reconheceu os factos, expressou remorsos e colaborou com a acusação", adiantou.

Mas foi também o líder dos ataques visando acabar com as orações e rituais realizados naqueles locais, contrários à lei islâmica, disse ainda o representante da procuradora.

As personagens veneradas a que dizem respeito os mausoléus valem a Timbuktu a designação de "cidade dos 333 santos", reconhecidos como protetores da cidade e a quem se apela para proteger casamentos ou para pedir chuva.

Professor e depois diretor de escola, Al-Mahdi era um especialista de religião do Ansar Dine, um dos grupos 'jihadistas' que controlaram o norte do Mali durante cerca de 10 meses em 2012, até ser desencadeada uma intervenção militar internacional por iniciativa da França.

Lusa

  • Hospitais públicos à beira da rutura
    2:28
  • OMS inclui dependência dos videojogos na lista de doenças mentais

    Mundo

    A Organização Mundial de Saúde (OMS) incluiu a dependência de videojogos na lista de doenças mentais, uma possibilidade que tinha sido prevista no início do ano e que foi anunciada esta segunda-feira. Este pode ser mais um argumento para os pais limitarem o tempo de acesso dos filhos às consolas, computadores e todos os dispositivos com videojogos.

  • Repitam comigo: Portugal vai ser campeão do Mundo
    4:56
  • "Estou a ser posta porta fora (...) faço o que vocês me disserem"
    2:43
  • "Estamos a plantar fósforos"
    2:09

    Opinião

    O calor regressou esta segunda-feira em força e no terreno estiveram quase 1300 bombeiros a combater 70 fogos por todo o país. Depois da tragédia de Pedrógão Grande, o Presidente da República diz que a consciência do país mudou mas é preciso fazer mais. Já Miguel Sousa Tavares diz que o país está mais preparado para combater os incêndios do que alguma vez esteve. No entanto, o comentador da SIC diz que já foram plantados mais de "2500 hectares de eucaliptos" desde Pedrógão e que enquanto isso acontecer Portugal vai continuar a arder. 

    Miguel Sousa Tavares

  • Rapper XXXTentacion morto em aparente tentativa de roubo

    Cultura

    O rapper norte-americano XXXTentacion, de 20 anos, morreu na noite de segunda-feira depois de ter sido baleado, na Florida, no sudeste dos Estados Unidos. Um dos suspeitos terá disparado e atingido o rapper e, de seguida, dois suspeitos fugiram numa viatura escura. A polícia está a considerar tentativa de roubo.