sicnot

Perfil

Mundo

Líder da Coreia do Norte satisfeito com sucesso de disparo de míssil balístico

O líder norte-coreano, Kim Jong-un, considerou um "enorme sucesso" o disparo de um míssil balístico efetuado na quarta-feira pela Coreia do Norte a partir de um submarino, noticiou a agência oficial KCNA.

Com o disparo, a Coreia do Norte "chegou à vanguarda do poder militar com capacidade de ataque nuclear", afirmou Kim Jong-un, citado pela agência noticiosa norte-coreana.

"Não sei que observações ridículas os Estados Unidos e os seus seguidores vão fazer sobre o teste, mas posso dizer-lhes que os seus atos imprudentes só vão precipitar a sua destruição", salientou Kim Jong-un.

A agência de notícias sul-coreana Yonhap informou, na terça-feira à noite, que o regime de Pyongyang tinha disparado um míssil balístico, a partir de um submarino, que conseguiu percorrer cerca de 500 quilómetros em direção do Japão.

Para os especialistas, tal manobra representa um claro avanço dos programas balísticos norte-coreanos.

O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, afirmou que o míssil balístico norte-coreano tinha entrado pela primeira vez na zona de identificação aérea do Japão.

As tensões na península coreana começaram a aumentar depois de a Coreia do Norte ter realizado, a 06 de janeiro, o quarto teste nuclear, seguido, em fevereiro, do lançamento de um míssil de longo alcance.

O Conselho de Segurança da ONU reagiu adotando uma resolução no início de março com sanções mais duras contra Pyongyang.

A resolução visou setores específicos da economia norte-coreana e tenta minar o uso pela Coreia do Norte do sistema de transportes internacionais.

Lusa

  • A homenagem a Mário Soares no congresso do PS
    2:30
  • Costa defende legalização da eutanásia como forma de "alargar a liberdade"
    0:42
  • Duquesa de Sussex já tem brasão

    Harry & Meghan

    O Palácio de Kensington apresentou esta sexta-feira o brasão da Duquesa de Sussex, Meghan Markle. O brasão foi criado pelo College of Arms mas teve a ajuda da duquesa para que este fosse "pessoal e representativo".

    SIC