sicnot

Perfil

Mundo

Rússia confirma à ONU intenção de aceitar trégua de 48 horas em Alepo

A Rússia confirmou à ONU a intenção de aceitar uma trégua de 48 horas em Alepo, pedida pela organização para fazer chegar ajuda humanitária à cidade, disse hoje o enviado especial das Nações Unidas.

"A Rússia disse-nos que sim e agora queremos que as outras partes (beligerantes) façam o mesmo", acrescentou Staffan de Mistura.

A ONU tem tudo pronto para entrar ao mesmo tempo no leste da cidade, controlada por grupos rebeldes, e no oeste, nas mãos das forças governamentais e milícias aliadas, acrescentou o enviado especial da ONU para a Síria.

"Os camiões estão prontos para sair assim que chegue essa mensagem", afirmou De Mistura.

O plano da ONU para Alepo (norte) inclui a reparação do sistema elétrico para que comecem novamente a funcionar as estações de bombagem de água que servem 1,8 milhões de pessoas nas duas zonas da cidade.

Para o acesso humanitário foi traçada uma rota a partir da Turquia até ao leste de Alepo, pelo qual se espera que, na primeira trégua de 48 horas, transitem dois comboios de ajuda, de 20 camiões cada um e com ajuda para 80 mil pessoas.

A entrada será feita pela rota do Castello, que as forças governamentais bloquearam no início de julho, impedindo qualquer possibilidade de entrada de ajuda para as zonas controladas pelos rebeldes.

A assistência para a parte ocidental de Alepo vai sair de Damasco e entrar nessa zona pelo sul da cidade, explicou o coordenador da operação, Jan Egeland, em conferência de imprensa.

A ONU pede há semanas que se estabeleça uma trégua de 48 horas semanais em Alepo, onde se pensa viverem cerca de dois milhões de civis.

"Temos tudo pronto. Os camiões estarão selados e vão ser vigiados para garantir que só transportaremos carga humanitária para as zonas de combate. Podemos partir com a maior brevidade", afirmou Egeland.

Para analisar a situação na Síria e as possibilidades de retomar as negociações de paz o secretário de Estado norte-americano, John Kerry, e o ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Serguei Lavrov, reúnem-se na sexta-feira com Staffan de Mistura, em Genebra.

Lusa

  • GNR só teve acesso às imagens das agressões em Alcochete 12 horas depois
    1:42

    Crise no Sporting

    A GNR não pôde visionar as imagens de videovigilância da Academia de Alcochete logo que chegou ao local. O sistema estava inoperacional, o que fez com que as imagens só fossem entregues quase 12 horas depois do ataque à equipa do Sporting. Entre as provas recolhidas, estão também impressões digitais e vestígios de sangue encontrados na zona do balneário.

  • Juiz considera que agressões em Alcochete foram "ato terrorista"
    1:59

    Crise no Sporting

    O juiz que decretou a prisão preventiva dos 23 detidos pelo ataque à Academia do Sporting considera que se tratou de um ato terrorista. Diz mesmo que os agressores tiveram um comportamento chocante e que perverte o espírito desportivo. Sete dos 23 detidos já foram condenados por outros crimes, mas não chegaram a pena de prisão.

  • Gonçalo Guedes: o menino franzino que jogava mais que os outros em Benavente
    8:47
  • A promessa que João Mário vai ter de cumprir se Portugal for campeão
    1:36
  • Aprovadas mudanças no acesso ao ensino superior

    País

    O Governo aprovou esta quinta-feira o decreto-lei que estabelece o currículo dos ensinos básico e secundário, bem como os princípios orientadores da avaliação, voltando a nota de Educação Física a contar para a média de acesso ao ensino superior. No caso dos alunos do ensino profissional, são eliminados requisitos considerados discriminatórios no acesso ao ensino superior.

  • Universidade de Coimbra não retira Honoris Causa a Lula
    3:30
  • Estudo acaba com teorias da conspiração sobre a morte de Hitler

    Mundo

    Existem algumas versões sobre o desaparecimento do ditador nazi, Adolf Hitler. Há quem diga que viajou para um país da América do Sul, outros acreditam que está escondido na Antártida e há até quem vá mais longe e acredita que estaria na Lua. Mas, teorias da conspiração à parte, a história oficial diz que Hitler suicidou-se num bunker, em Berlim, Alemanha.

    SIC