sicnot

Perfil

Mundo

Chefe da polícia das Filipinas diz a toxicodependentes para matarem traficantes

© Romeo Ranoco

O chefe da polícia das Filipinas instou hoje os toxicodependentes a matarem os traficantes de droga e a queimar as suas casas, numa altura em que a controversa guerra ao crime já soma mais de 2 mil mortos.

"Por que não lhes fazem uma visita, regam as suas casas com gasolina e ateiam-lhes fogo para mostrar a vossa raiva?", questionou Ronald de la Rosa, num discurso transmitido hoje pela televisão.

"Eles estão todos a gozar o vosso dinheiro, dinheiro esse que destruiu o vosso cérebro. Vocês sabem quem são os barões da droga. Gostariam de os matar? Avancem. Matá-los é permitido porque vocês são as vítimas".

O chefe da polícia das Filipinas falava na quinta-feira para centenas de consumidores de droga que se entregaram no centro das Filipinas.

Quando questionado se Rodrigo Duterte apoia o apelo ao homicídio e à prática de fogo posto de la Rosa, o porta-voz do Presidente Ernesto Abella negou que essa tenha sido a intenção do chefe da polícia.

"Não há tal apelo. É uma declaração acalorada", disse hoje Abella aos jornalistas.

O comentário do chefe da polícia das Filipinas surge na sequência das próprias diretivas controversas do novo chefe de Estado das Filipinas.

Rodrigo Duterte, de 71 anos, que tomou posse a 30 de junho, declarou guerra aberta contra a droga, tendo recebido inúmeras críticas de organizações como as Nações Unidas, tanto pelo elevado número de mortos como pelo que consideram violações de direitos e liberdades fundamentais.

Na réplica, Duterte disse que a ONU era "estúpida" por se opor à guerra contra a droga.

Apesar da violenta campanha, que já fez mais de 2.000 mortos desde 01 de julho, Duterte mantém a sua popularidade, que se situa em 91% nas sondagens, a pontuação mais elevada granjeada por um chefe de Estado filipino.

  • Não houve negligência médica no caso do jovem em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • "Nobel é um incentivo para toda uma nação"
    1:19