sicnot

Perfil

Mundo

Detidos mais de 100 manifestantes após assassínio de vice-ministro da Bolívia

Reuters

A polícia da Bolívia deteve, esta quinta-feira, mais de uma centena de mineiros, que participaram nos bloqueios no planalto, onde se encontrava sequestrado e foi depois assassinado o vice-ministro do Interior, Rodolfo Illanes.

O ministro da Defesa boliviano, Reymi Ferreira, declarou ao canal de televisão Red Uno que o governo não vai deixar o crime passar impune e que os agentes detiveram já entre 100 e 120 pessoas no âmbito da investigação ao caso.

Segundo Reymi Ferreira, o Presidente da Bolívia, Evo Morales, "está profundamente comovido" e a morte de Illanes causou uma "profunda dor" porque era um vice-ministro "muito querido".

O ministro anunciou que o chefe de Estado vai reunir-se às 05:00 (10:00 em Lisboa) com os ministros e que, nessa altura, vão ser reveladas as medidas a tomar face ao conflito com os mineiros organizados em cooperativas.

Reymi Ferreira afirmou que atualmente o governo está preocupado em recuperar o corpo de Illanes, e acusou os mineiros de serem "intransigentes" por não permitirem a remoção do corpo para que seja submetido a uma autópsia e posteriormente entregue aos familiares.

"É uma atitude terrivelmente criminosa a que estes dirigentes estão a demonstrar", afirmou, aludindo aos líderes da Federação Nacional das Cooperativas Mineiras (Fencomin), que convocou os protestos contra uma lei promulgada pelo Governo.

Os mineiros rejeitam-na porque estimula a formação de sindicatos nas cooperativas, o que entendem ser prejudicial para o funcionamento desse tipo de organizações.

O "cobarde" e "brutal assassínio" de Illanes foi confirmado, pouco antes, pelo ministro do Interior, Carlos Romero, numa declaração aos jornalistas a partir do Palácio do Governo.

Essa declaração veio confirmar a versão que circulava há horas, quando o jornalista Moisés Flores, diretor da rádio Fedecomin, afirmou ter visto o corpo num monte do planalto, perto da localidade de Panduro, a 180 quilómetros da capital, La Paz, onde voltaram a registar-se violentos confrontos entre mineiros e a polícia.

Carlos Romero disse que o vice-ministro do Interior, Rodolfo Illanes, pediu para ir a Panduro para abrir uma janela de diálogo com os manifestantes que, há três dias, bloqueiam estradas em forma de protesto contra uma lei sobre sindicatos promulgada pelo Presidente Evo Morales.

O ministro realçou que, através de diferentes meios, o governo exortou os mineiros a libertar Illanes, que terá sido morto entre as 17:30 e as 18:00 (22:30 e 23:00 de quinta-feira em Lisboa).

"Queremos não apenas expressar o nosso profundo repúdio por este ato criminoso sem precedentes, mas também solicitar à Justiça que esclareça este assassínio e apure responsabilidades", concluiu o ministro.

  • Portugal vai fechar fronteiras durante a visita do Papa

    País

    O Conselho de Ministros aprovou hoje a reposição temporária do controlo de fronteiras durante a visita do papa Francisco em maio a Fátima. A reposição do controlo de fronteiras decorrerá entre 00:00 de 10 de maio e as 00:00 de 14 de maio.

  • Descoberta nova espécie de tiranossauro

    Mundo

    Uma nova espécie de dinossauros predadores, um tiranossauro com uma forma incomum de evolução, foi descoberta por uma equipa internacional de cientistas, segundo um artigo científico hoje publicado pela revista Nature.

  • Juncker reprova com ironia apoio de Trump

    Brexit

    O Presidente da Comissão Europeia disse hoje com ironia que promoverá a independência do Ohio ou de Austin, no Texas, em relação aos Estados Unidos se o presidente Donald Trump continuar a incitar países europeu a seguirem o Brexit.

  • "Civis devem ser prioridade absoluta no Iraque", diz Guterres

    Mundo

    O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, chegou hoje ao Iraque para abordar a situação da ajuda humanitária, e pediu que a proteção dos civis seja a "prioridade absoluta" à medida que as forças iraquianas batalham para retomar Mossul.

  • Fomos conhecer o novo Samsung S8
    1:42