sicnot

Perfil

Mundo

Hungria vai construir segundo muro na fronteira com a Sérvia

Hungria vai construir segundo muro na fronteira com a Sérvia

O primeiro-ministro húngaro anunciou, numa entrevista à rádio pública, que a Hungria vai construir um segundo muro para impedir a entrada de migrantes no país. De acordo com Viktor Orban, o novo muro vai ser construído junto à barreira já existente e servirá para reforçar as defesas do país.

O primeiro-ministro conservador húngaro, Viktor Orban, anunciou hoje a construção de uma segunda cerca antimigrantes para reforçar a primeira construída há um ano na fronteira com a Sérvia, evocando o risco de um novo fluxo de refugiados.

"Uma nova vedação será construída e será equipada com o equipamento técnico mais moderno", declarou Orban na rádio pública.

"Estão em curso os estudos técnicos" para um "sistema de defesa mais robusto" ao longo da atual vedação em 175 quilómetros da fronteira servo-húngara, precisou.

Orban tinha anunciado recentemente o recrutamento de 3.000 polícias para apoiarem os 3.500 membros das forças da ordem encarregados de guardarem a fronteira.

Segundo o chefe do governo húngaro, as novas medidas visam enfrentar as "centenas de milhares" de migrantes suscetíveis de quererem entrar na Hungria se for denunciado o acordo entre a União Europeia e a Turquia concluído em março para conter o fluxo, como Ancara já ameaçou.

Em 2015, à volta de 400.000 migrantes passaram pela Hungria em direção a países como a Áustria, Alemanha ou Suécia, antes do governo construir no outono vedações nas fronteiras com a Sérvia e com a Croácia.

Apesar do dispositivo, cerca de 18.000 pessoas entraram ilegalmente no país durante o corrente ano, segundo os números oficiais.

Orban convocou para 02 de outubro um referendo para legitimar a sua recusa de acolher refugiados no quadro do plano europeu de distribuição aprovado no outono de 2015.

Com Lusa

  • Passos explica porque se irritou com Costa
    0:42

    Economia

    Depois das imagens em que surgiu visivelmente irritado com António Costa, no último debate quinzenal, Passos Coelho veio agora explicar porquê. Na discussão com o primeiro-ministro, o líder do PSD não gostou que Costa tivesse insinuado que a fuga de 10 mil milhões de euros para offshores tenha ocorrido por inação do Governo anterior.

  • Ferro Rodrigues desvaloriza críticas do CDS
    3:24

    Caso CGD

    Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de receber em público Ferro Rodrigues antes de um almoço com o presidente da Assembleia da República. O Presidente também recebeu a representante do CDS-PP, Assunção Cristas, que foi apresentar queixa de Ferro Rodrigues e da maioria de esqueda em relação à comissão de inquérito da Caixa Geral de Depósitos. Ferro Rodrigues desvalorizou as críticas.

  • Luaty Beirão agredido em manifestação em Luanda
    1:27

    Mundo

    Luanda tem sido palco de várias manifestações contra a forma como está a decorrer o processo eleitoral em Angola. Esta sexta-feira, uma dessas manifestações acabou em confrontos com as autoridades. Entre os manifestantes estava o ativista Luaty Beirão.

  • Regime de Pyongyang nega envolvimento na morte de Kim Jong-nam 
    1:53

    Mundo

    A polícia da Malásia diz que o irmão do líder da Coreia do Norte foi morto com uma arma química. Os investigadores encontraram vestígios de gás VX no corpo de Kim Jong-nam, um gás letal proibido pelas convenções internacionais. O Governo da Coreia do Sul pediu esta sexta-feira ao regime de Pyongyang que admita que está por detrás da morte de Kim Jong-nam mas o mesmo já veio negar o envolvimento no assassinato.