sicnot

Perfil

Mundo

Número de mortes por armas de fogo no Brasil cresceu 592,8% em 34 anos

O número de homicídios por armas de fogo passou de 6.104 em 1980 para 42.291 em 2014, o que representa um crescimento de 592,8%, segundo o "Mapa da Violência 2016 - Homicídios por armas de fogo no Brasil".

Os 42.291 homicídios incluem-se nas 44.861 mortes por armas de fogo, sendo as restantes relativas a acidentes, suicídios e mortes indeterminadas, de acordo com a pesquisa coordenada pelo investigador Julio Jacobo Waiselfisz, ligado à Faculdade Latino-Americana de Ciências Sociais (Flacso).

No relatório lê-se que "44.861 mortes em 2014 representam 123 vítimas de armas de fogo a cada dia do ano e cinco óbitos a cada hora", um "número bem maior do que temos notícia de grandes chacinas e cruentos atentados pelo mundo".

A cada dia, lê-se no documento, morre no Brasil praticamente "o equivalente aos massacres de Paris de [13 de] novembro de 2015, quando morreram 137 pessoas, incluindo sete dos agressores", numa referência aos atentados provocados pelo grupo 'jihadista' Estado Islâmico.

Na faixa etária entre 15 e 29 anos, houve um crescimento de 699,5% nos homicídios por armas de fogo: de 3.159 em 1980 passaram para 25.255 em 2014.

O estudo revelou também que o número de pessoas negras mortas por armas de fogo é 2,6 vezes maior que o de pessoas brancas.

O levantamento mostra que entre 2003 e 2014 houve uma queda de 27% na mortalidade de brancos por armas de fogo e um aumento de 9,9% na de negros.

A investigação concluiu também que 94,4% dos brasileiros mortos por armas de fogo são do sexo masculino.

Em termos de regiões, a taxa média de homicídios por armas de fogo no nordeste em 2014 foi de 32,8 por 100 mil habitantes, "bem acima da taxa da região que vem imediatamente a seguir, centro-oeste, com 26", segundo o relatório.

Lusa

  • Juiz chumba proibição de armas nas salas de aula no Texas

    Mundo

    No Texas, um juiz chumbou uma moção apresentada por três professores universitários que queriam proibir os alunos de levarem armas para as salas de aula. A moção surge na sequência de uma lei aprovada pelo Estado no início de agosto, que permite aos estudantes com posse de arma irem armados para as universidades públicas.

  • Aeroporto Cristiano Ronaldo? Nem todos os madeirenses estão de acordo
    2:21
  • Fatura da água a dobrar
    2:26

    Economia

    Desde o início do ano que a população de Celorico de Basto está a receber duas faturas da água para pagar. Tanto a Câmara como a Águas do Norte reclamam o direito a cobrar pelo serviço. Contactada pela SIC, a Entidade Reguladora esclarece que o município não pode emitir faturas e tem de devolver o dinheiro.

  • Vala comum com 6 mil corpos em Mossul
    1:43

    Daesh

    Há suspeitas de que o Daesh tenha criado uma vala comum com cerca de seis mil corpos a sul de Mossul, no Iraque. A área em redor estará minada. A revelação é de uma equipa de reportagem da televisão britânica Sky News.

  • A menina que os pais queriam chamar "Allah"

    Mundo

    ZalyKha Graceful Lorraina Allah tem 22 meses, anda não sabe ler nem escrever mas já está no centro de um processo judicial contra o Estado da Georgia, nos EUA. Os pais, Elizabeth Handy e Bilal Walk, apoiados por uma ONG, exigem na justiça que o nome seja reconhecido na certidão de nascimento para que a criança possa ser inscrita na escola, na segurança social ou nos registos e notoriado. O casal já tem um filho de 3 anos que se chama Masterful Mosirah Aly Allah.