sicnot

Perfil

Mundo

ONU diz que dificuldade em aceder a zonas sitiadas na Síria é "totalmente inaceitável"

A ONU considerou esta sexta-feira ser "totalmente inaceitável" a dificuldade em aceder às zonas sitiadas na Síria para levar ajuda, assinalando que em agosto apenas uma coluna completa pode ser encaminhada para os que dela necessitavam.

"O nível de acesso às zonas sitiadas este mês é totalmente inaceitável", sublinhou num comunicado o Gabinete de Coordenação dos Assuntos Humanitários das Nações Unidas (OCHA), congratulando-se, no entanto, pelo facto de alimentos e medicamentos terem conseguido chegar esta semana a Al-Waer, na região de Homs (centro).

Esta caravana humanitária foi "a única completa" a chegar a uma zona cercada em agosto, adiantou o OCHA.

A distribuição de ajuda em Al-Waer, iniciada na terça-feira e que terminou na quinta-feira, beneficiou 75.000 pessoas, precisou a ONU.

O enviado especial da ONU para a Síria, Staffan de Mistura, acusou nas últimas semanas as diferentes partes do conflito de bloquearem o acesso aos civis que precisam de ajuda, sobretudo ao regime de Bashar al-Assad cujas forças cercam a maioria das 18 zonas sitiadas.

Mistura participou esta sexta-feira numa reunião entre o secretário de Estado norte-americano, John Kerry, e o seu homólogo russo, Serguei Lavrov, em Genebra, para analisar a situação na Síria e as possibilidades de retomar as negociações de paz.

Lusa

  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras