sicnot

Perfil

Mundo

ONU diz que dificuldade em aceder a zonas sitiadas na Síria é "totalmente inaceitável"

A ONU considerou esta sexta-feira ser "totalmente inaceitável" a dificuldade em aceder às zonas sitiadas na Síria para levar ajuda, assinalando que em agosto apenas uma coluna completa pode ser encaminhada para os que dela necessitavam.

"O nível de acesso às zonas sitiadas este mês é totalmente inaceitável", sublinhou num comunicado o Gabinete de Coordenação dos Assuntos Humanitários das Nações Unidas (OCHA), congratulando-se, no entanto, pelo facto de alimentos e medicamentos terem conseguido chegar esta semana a Al-Waer, na região de Homs (centro).

Esta caravana humanitária foi "a única completa" a chegar a uma zona cercada em agosto, adiantou o OCHA.

A distribuição de ajuda em Al-Waer, iniciada na terça-feira e que terminou na quinta-feira, beneficiou 75.000 pessoas, precisou a ONU.

O enviado especial da ONU para a Síria, Staffan de Mistura, acusou nas últimas semanas as diferentes partes do conflito de bloquearem o acesso aos civis que precisam de ajuda, sobretudo ao regime de Bashar al-Assad cujas forças cercam a maioria das 18 zonas sitiadas.

Mistura participou esta sexta-feira numa reunião entre o secretário de Estado norte-americano, John Kerry, e o seu homólogo russo, Serguei Lavrov, em Genebra, para analisar a situação na Síria e as possibilidades de retomar as negociações de paz.

Lusa

  • Os negócios menos claros do filho de Pinto da Costa
    1:55
  • BCE autoriza CGD a avançar com recapitalização

    Caso CGD

    A Caixa Geral de Depósitos informou esta sexta-feira que vai prosseguir com as operações da primeira fase do aumento de capital, depois de ter obtido autorização para isso junto do Banco Central Europeu (BCE) e do Banco de Portugal.

  • Condutores apanhados a mais de 200 em corridas ilegais na Ponte Vasco da Gama
    1:25
  • A história da guerra em Alepo
    7:43
  • Reino Unido em alerta máximo de terrorismo

    Mundo

    O Reino Unido elevou o alerta de terrorismo para o nível máximo depois das declarações, esta quinta-feira, do chefe das secretas britânicas. O diretor do MI6 está preocupado com eventuais ataques contra o Reino Unido e outros aliados.

  • Uma "cidade fantasma" na Letónia
    3:10
  • O anúncio de natal que está a emocionar o mundo
    1:47