sicnot

Perfil

Mundo

PKK reivindica atentado suicida que matou 11 polícias no sudoeste da Turquia

O Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) reivindicou o atentado suicida desta sexta-feira em Cizre, no sudeste da Turquia, que deixou 11 polícias mortos e dezenas de outros feridos.

"A nossa equipa suicida lançou uma ação alargada em Cizre que matou dezenas de polícias", afirmou a organização num comunicado colocado na sua página na Internet.

O texto justifica o ataque com o "isolamento continuado" do líder do PKK, Abdullah Ocalan, detido em 1999, e a "falta de informação" sobre o seu paradeiro.

Um automóvel armadilhado explodiu hoje às 06:40 locais (04:40 em Lisboa) junto a um posto de controlo a 50 metros de uma esquadra policial em Cizre, na província de Sirnak, que faz fronteira com a Síria e o Iraque.

Após a explosão, registou-se uma troca de tiros entre atacantes e forças de segurança.

Onze polícias morreram e 75 ficaram feridos, além de três civis que também sofreram ferimentos.

As forças de segurança turcas são um alvo quase diário do PKK desde que as conversações de paz com o governo fracassaram, em julho de 2015.

Lusa

  • Marcelo saúda "forma rápida" como Conselho de Ministros "tratou de tudo"
    1:03

    País

    O Presidente da República lembra que é preciso convergência de forma a adotar rapidamente as medidas mais urgentes do plano de emergência. No concelho de Tábua, Marcelo Rebelo de Sousa destacou ainda os esforços do Conselho de Ministros, mas lembrou que as medidas anunciadas são apenas o início de um processo e não o fim.