sicnot

Perfil

Mundo

Venezuela deteve e expulsou deputados e autarcas equatorianos que se reuniram com opositores

A Venezuela deteve e expulsou esta sexta-feira uma delegação de deputados e autarcas equatorianos que viajaram quinta-feira a Caracas, para "promover a democracia na região", tendo mantido encontros com opositores do Governo do Presidente Nicolás Maduro.

A detenção e expulsão foram confirmadas aos jornalistas pelo vice-presidente da Assembleia Nacional (parlamento) da Venezuela, Enrique Márquez, e por Mitzy de Ledezma, mulher do presidente da Câmara Metropolitana de Caracas, António Ledezma, que se encontra atualmente detido e acusado de vários delitos, entre os quais o de rebelião.

Foram expulsos a candidata presidencial equatoriana Cynthia Viteri, o ex-autarca Carlos Falquez, o deputado (opositor) Henry Cucalon, a autarca de Guayaquil, Susana González e o secretário de administração pública municipal de Guayaquil, Vicente Taiano.

A expulsão teve lugar depois de a delegação tentar visitar o líder opositor do partido venezuelano Vontade Popular, Leopoldo López, atualmente preso no cárcere militar de Ramo Verde (sul de Caracas).

A detenção foi efetuada por funcionários do Serviço Bolivariano de Inteligência (Sebin, serviços secretos), que pediram os passaportes dos visitantes e lhes ordenaram que entrassem em viaturas de serviço nas quais foram transportados ao Aeroporto Internacional Simón Bolívar de Maiquetía (norte de Caracas).

Fontes não oficiais dão conta que os membros da delegação equatoriana foram despojados dos seus telemóveis.

Lusa

  • Nicolás Maduro só quer referendo revogatório em 2017
    2:13

    Mundo

    Nicolás Maduro admite submeter-se a um referendo revogatório do mandato mas só no próximo ano e se forem cumpridos os requisitos da lei. A oposição já reagiu para reafirmar que a consulta popular é para ser feita este ano apesar de muitas das assinaturas apresentadas não estarem a ser validadas. Nas ruas da Venezuela, a população continua a sofrer com a falta de alimentos.

  • Funcionários públicos anti-Maduro foram despedidos
    1:24

    Mundo

    Na Venezuela, em plena crise económica e com receios de que a contestação social volte a aumentar, cerca de 200 funcionários das finanças queixam-se de terem sido despedidos por motivos políticos. Os trabalhadores dizem que foram para a rua por terem assinado o pedido de referendo revogatório que pode pôr fim ao mandato do presidente venezuelano, Nícolas Maduro.

  • Chamas no concelho de Torre de Moncorvo ameaçaram aldeia
    1:30

    País

    Dois incêndios no concelho de Torre de Moncorvo deram luta aos bombeiros na tarde de ontem e também durante toda a noite. As chamas estiveram muito próximas da aldeia de Cabanas de Cima, mas os bombeiros conseguiram desviar o fogo.

  • Se

    Se Jaime Marta Soares tiver razão, se a ciência e as autoridades não forem - outra vez? - manipuladas pelo poder político, se a investigação - independente - concluir que o fogo começou muito antes da trovoada, então, estamos diante de um dos maiores embustes do Portugal democrático.

    Pedro Cruz

  • Governo cria fundo de apoio para as pessoas afetadas pelos incêndios
    1:25

    Tragédia em Pedrógão Grande

    O ministro do Planeamento e Infraestruturas reuniu-se esta quarta-feira com os autarcas de Figueró dos Vinhos, Castanheira de Pera e Pedrógão  Grande. O Governo criou um fundo financeiro, com o contributo dos portugueses, para apoiar a reconstrução das habitações e a vida das pessoas afetadas pelos incêndios que lavram desde sábado. O fundo será aprovado quinta-feira em Conselho de Ministros.

  • A reconstrução da Nacional 236
    1:44
  • Harry admite que ninguém na família real britânica quer ser rei ou rainha

    Mundo

    O príncipe Harry admitiu que nenhum dos mais jovens membros da família real britânica quer ser rei ou rainha. Numa entrevista exclusiva à revista norte-americana Newsweek, na qual aborda temas como a morte da mãe, que perdeu com apenas 12 anos, Harry afirma que ele e o irmão estão empenhados em "modernizar a monarquia".

    SIC