sicnot

Perfil

Mundo

Venezuela deteve e expulsou deputados e autarcas equatorianos que se reuniram com opositores

A Venezuela deteve e expulsou esta sexta-feira uma delegação de deputados e autarcas equatorianos que viajaram quinta-feira a Caracas, para "promover a democracia na região", tendo mantido encontros com opositores do Governo do Presidente Nicolás Maduro.

A detenção e expulsão foram confirmadas aos jornalistas pelo vice-presidente da Assembleia Nacional (parlamento) da Venezuela, Enrique Márquez, e por Mitzy de Ledezma, mulher do presidente da Câmara Metropolitana de Caracas, António Ledezma, que se encontra atualmente detido e acusado de vários delitos, entre os quais o de rebelião.

Foram expulsos a candidata presidencial equatoriana Cynthia Viteri, o ex-autarca Carlos Falquez, o deputado (opositor) Henry Cucalon, a autarca de Guayaquil, Susana González e o secretário de administração pública municipal de Guayaquil, Vicente Taiano.

A expulsão teve lugar depois de a delegação tentar visitar o líder opositor do partido venezuelano Vontade Popular, Leopoldo López, atualmente preso no cárcere militar de Ramo Verde (sul de Caracas).

A detenção foi efetuada por funcionários do Serviço Bolivariano de Inteligência (Sebin, serviços secretos), que pediram os passaportes dos visitantes e lhes ordenaram que entrassem em viaturas de serviço nas quais foram transportados ao Aeroporto Internacional Simón Bolívar de Maiquetía (norte de Caracas).

Fontes não oficiais dão conta que os membros da delegação equatoriana foram despojados dos seus telemóveis.

Lusa

  • Nicolás Maduro só quer referendo revogatório em 2017
    2:13

    Mundo

    Nicolás Maduro admite submeter-se a um referendo revogatório do mandato mas só no próximo ano e se forem cumpridos os requisitos da lei. A oposição já reagiu para reafirmar que a consulta popular é para ser feita este ano apesar de muitas das assinaturas apresentadas não estarem a ser validadas. Nas ruas da Venezuela, a população continua a sofrer com a falta de alimentos.

  • Funcionários públicos anti-Maduro foram despedidos
    1:24

    Mundo

    Na Venezuela, em plena crise económica e com receios de que a contestação social volte a aumentar, cerca de 200 funcionários das finanças queixam-se de terem sido despedidos por motivos políticos. Os trabalhadores dizem que foram para a rua por terem assinado o pedido de referendo revogatório que pode pôr fim ao mandato do presidente venezuelano, Nícolas Maduro.

  • Principais factos da acusação no caso BPN dados como provados

    País

    O coletivo de juízes responsável pelo julgamento do processo principal do caso BPN interrompeu perto das 13:00 a leitura do acórdão iniciada pelas 10:30. Os principais factos da acusação são dados como provados, mas a leitura deverá demorar algumas horas.

  • Papa pede a Trump para ser pacificador
    1:12
  • Supremo confirma condenação de Messi por fraude fiscal

    Desporto

    O Supremo Tribunal de Justiça espanhol confirma a condenação de Lionel Messi por fraude fiscal. A notícia foi avançada pelo El País. O jogador do Barcelona foi condenado a 21 meses de prisão por três crimes fiscais que lesaram o Estado em 4,1 milhões de euros.

  • Autódromo do Estoril está ilegal há 45 anos

    Desporto

    De acordo com o Público este equipamento desportivo, inaugurado na década de 70, não tem licença de construção nem de utilização. Uma notícia que apanhou de surpresa o executivo camarário de Cascais, liderado por Carlos Carreiras.

  • Seca na Bacia do Sado exige restrições ao uso da água no Alentejo

    País

    A Agência Portuguesa do Ambiente aprovou hoje um conjunto de medidas para gestão dos recursos hídricos, definindo medidas específicas para a bacia hidrográfica do Sado, a única que se encontra em situação de seca. Além da diminuição de regas em hortas e jardins, a APA recomenda o encerramento das fontes decorativas, a proibição de encher piscinas e de lavagem de automóveis.