sicnot

Perfil

Mundo

Diplomata espanhol ferido durante tentativa de sequestro na Venezuela

​Um funcionário da embaixada da Espanha na Venezuela ficou ferido, na sexta-feira, na sequência de uma tentativa de sequestro, elevando para três o número de diplomatas vítimas da insegurança no país em menos de dois meses.

Segundo fontes policiais, o tenente José Miguel Oliva Iñiguez, adido militar de Espanha na Venezuela, foi intercetado por indivíduos armados quando se encontrava no interior da sua viatura à espera de uma pessoa, na avenida Sanz de El Marqués, na zona leste de Caracas.

Os criminosos terão tentado roubar a viatura e sequestrar o funcionário, que opôs resistência e foi baleado no ombro direito, tendo a bala se deslocado até à zona do peito.

Apesar dos ferimentos José Miguel Oliva Iñiguez conseguiu fugir do local e chegar a uma clínica onde recebeu assistência médica de urgência.

Há pouco mais de uma semana o cônsul da Rússia em Caracas, Alexey Gorlov, foi sequestrado em Caracas por um grupo de indivíduos armados.

Segundo a imprensa venezuelana, depois de ter negociado e pagado o regate, foi "agredido selvagemente" pelos raptores.

Em declarações aos jornalistas o diretor do Corpo de Investigações Científicas, Penais e Criminalísticas (Cicpc, antiga Polícia Técnica Judiciária), Douglas Rico, anunciou que as autoridades detiveram um dos criminosos, estando à procura dos outros membros de um grupo dedicado essencialmente ao roubo e ao sequestro.

A 04 de julho, foi assassinado o administrador do Consulado de Itália em Caracas, Mauro Monciatti, na localidade de Altamira, no leste da capital da Venezuela.

O diplomata, de 59 anos, que estava radicado há três meses no país, foi encontrado sem vida dentro do seu apartamento, com várias feridas de objetos contundentes.

Lusa

  • "Não se reconstroem serviços públicos em dois anos"
    0:53

    País

    O Ministro da Saúde diz que os problemas do Serviço Nacional de Saúde não se resolvem em dois anos nem se consegue reverter a trajetória de desinvestimento e delapidação dos serviços públicos até 2019, ou até ao final da legislatura. Em entrevista ao jornal Público e à rádio Renascença, Adalberto Campos Fernandes admitiu ainda que é contra a eutanásia, mas garante que o SNS estará pronto a aplicar a lei, se assim for decidido pelo Parlamento.

  • "Oui, Monsieur - O Saco Azul do Marquês" (Parte I)
    35:45

    Operação Marquês

    A acusação da Operação Marquês diz que, em 5 anos, foram pagos quase 36 milhões de euros de luvas a José Sócrates. A maior fatia veio do Grupo Espírito Santo. O Ministério Público fala em pagamentos por decisões políticas sobre negócios da PT, alegadamente em benefício de Ricardo Salgado. Além de Sócrates, também Zeinal Bava e Henrique Granadeiro terão recebido dezenas de milhões de euros do ex-banqueiro. Nesta primeira parte da reportagem "Oui, Monsieur - O Saco Azul do Marquês", começamos a seguir do rasto desse dinheiro, conduzidos pelas pistas deixadas à investigação, nos registos secretos de um director do Grupo Espírito Santo.

  • "Oui, Monsieur - O Saco Azul do Marquês" (Parte II)
    24:59

    Operação Marquês

    O Ministério Público estima que, em apenas 8 anos, a ES Enterprises movimentou mais de três mil milhões de euros. E sempre à margem de qualquer controlo. Na tese da Operação Marquês, foi desta empresa fantasma que saiu a maior parte das luvas alegadamente pagas por Ricardo Salgado a José Sócrates, Zeinal Bava, Henrique Granadeiro e Hélder Bataglia, por causa dos negócio da PT. Na primeira parte da grande reportagem "Oui, Monsieur - o saco azul do marquês" vimos como o chumbo da OPA da SONAE à PT terá sido o primeiro desses negócios.Agora, olhamos para outros pagamentos milionários e procuramos perceber o que está atrás desse alegado saco azul. A investigação concluiu que era financiado através de operações financeiras complexas, por vezes com dinheiro dos clientes do BES.