sicnot

Perfil

Mundo

PP e Ciudadanos chegam a acordo para viabilizar investidura de Rajoy

O Partido Popular (PP) espanhol e o Ciudadanos chegaram esta manhã a um acordo que viabiliza a investidura de Mariano Rajoy na chefia do governo, noticiam os diários El País e El Mundo, citando fontes dos dois partidos.

"Após uma semana de negociações, o PP e o Ciudadanos alcançaram um acordo para que os 32 deputados do partido de Abert Rivera votem favoravelmente a investidura de Mariano Rajoy", noticia a edição 'online' do El Pais.

De acordo com o matutino espanhol, o atual presidente do governo espanhol e o líder do Ciudadanos reúnem-se esta manhã com as equipas de negociadores de ambos os partidos para "ratificar" a assinatura do pacto de investidura no Congresso dos Deputados.

"Os dirigentes das duas formações aceleraram o fecho do acordo no sábado durante uma discreta reunião entre ambos", refere o jornal.

Fontes de ambos os partidos, citadas pelo El Pais, confirmaram que Rajoy e Rivera fecharam esta noite a negociação.

Segundo o jornal, as duas delegações vão reunir-se às 12:30 (menos uma hora em Lisboa), estando previsto que os líderes parlamentares dos dois partidos assinem o acordo.

O chefe do executivo e o líder do Ciudadanos estarão depois na conferência de imprensa, acrescenta o jornal.

O acordo deverá pôr termo ao impasse político em Espanha, que já levou á repetição das eleições legislativas.

Lusa

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.