sicnot

Perfil

Mundo

Rajoy vai perguntar a Sánchez se quer novas eleições

O presidente do governo espanhol em funções, Mariano Rajoy, irá questionar, na segunda-feira, o líder do Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE), Pedro Sánchez, sobre se este quer novas eleições.

O Partido Popular (PP) e o Cidadanos chegaram hoje a um acordo que viabiliza a investidura de Mariano Rajoy na chefia do governo.

O líder do PP, Mariano Rajoy, que falava aos jornalistas após a assinatura do acordo entre o PP e o Cidadanos, explicou que transmitirá a Pedro Sánchez o mesmo que tem dito desde as eleições de 20 de dezembro, ainda que agora conte com 170 assentos fruto dos acordos com o partido de Alberto Rivera e da Coalición Canaria.

"Alguns já fizemos a nossa parte", acrescentou antes de referir que confrontará diretamente Sánchez com a pergunta: "Quer que voltemos a repetir as eleições?".

Reiterando que não deseja repetição de eleições, poque seria "um disparate", Rajoy acrescentou que dirá ainda ao líder socialista que o PP conta com mais 52 assentos que o PSOE e que "é racional, democrático e de senso comum" que seja o PP a presidir ao Governo já que os espanhóis assim o ditaram.

O chefe do governo em funções acrescentou que dirá ainda a Pedro Sánchez que Espanha precisa de um governo com urgência e que a apesar de a economia esrae bem poderão começar a surgir problemas se a situação política se mantiver.

Ainda que uma aliança entre PP, Cidadanos e Coalición Canaria garanta 170 assentos dos 350 lugares, estes ficarão a seis votos da maioria absoluta necessária para passar na primeira votação marcada para quarta-feira próxima.

Na segunda votação, a realizar na próxima sexta-feira, a maioria simples é suficiente, mas será necessário que a oposição socialista se abstenha para que Mariano Rajoy ganhe.

Lusa

  • Captura ilegal de cavalos-marinhos na Ria Formosa
    3:02

    País

    Há cada vez menos cavalos marinhos na Ria Formosa. Cientistas da Universidade do Algarve dizem que a maior população desta espécie no mundo, que é a que existe na Ria Formosa, está ameaçada devido à captura ilegal para o mercado asiático. Dizem que, se nada for feito para travar este fenómeno, esta espécie protegida pode desaparecer em poucos anos.