sicnot

Perfil

Mundo

Dirigente político opositor na Venezuela foi sequestrado

O presidente da Câmara Municipal de El Hatillo, David Smolansky, denunciou hoje que o dirigente do partido da oposição venezuelana, Vontade Popular, Yon Goicochea, foi sequestrado em Caracas.

Segundo aquele responsável Yon Goicochea foi intercetado pelas 9h horas locais (14h horas em Lisboa), por um grupo de homens armados quando circulava na sua viatura, nas proximidades do túnel de La Trinidad, a sul da cidade capital da Venezuela.

"Supomos que o sequestro de Yon Goicoechea foi executado por funcionários da Direção Geral de Contra Inteligência Militar ou do Serviço Bolivariano de Inteligência (Sebin, serviços secretos)", escreveu na sua conta do Twitter.

Entretanto familiares do político denunciaram aos jornalistas que continuavam sem ter notícias e que "8 indivíduos armados" participaram no rapto, responsabilizando o Governo venezuelano por alegadamente ter ordenado o sequestro.

Com 32 anos de idade, Yon Alexander Goicochea Lara é advogado e político. Foi um dos principais organizadores do Movimento Estudantil Venezuelano que opôs-se a uma reforma da Constituição promovida pelo falecido líder socialista Hugo Chávez (presidiu o país entre 1999 e 2013), que em 2007 foi chumbada pelos venezuelanos.

Descendente de emigrantes naturais das Ilhas Canárias, recebeu, em 2008, o prémio Milton Friedman para o Avanço da Liberdade, outorgado pelo Instituto Cato dos Estados Unidos, que incluía um reconhecimento pecuniário por 500 mil dólares norte-americanos.

Acusado pelo chavismo de ser uma marioneta dos Estados Unidos, militou no partido Primeiro Justiça (direita), passando depois para o partido Vontade Popular (centro-esquerda).

Lusa

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.