sicnot

Perfil

Mundo

Febra amarela já matou mais de 350 pessoas em Angola

O surto de febre amarela já matou mais de 350 pessoas em Angola e 75 na República Democrática do Congo. A Organização Mundial de Saúde lançou este mês uma ampla campanha de vacinação.

O objectivo é vacinar cerca de 15 milhões de pessoas nos dois países. A campanha deverá custar cerca de 34 milhões de euros. Quase metade já tem financiamento garantido.

Nos últimos seis meses surgiram em Angola quase 3 mil e quinhentos casos suspeitos. A doença é fatal em cerca de 50 por cento dos casos. A falta de saneamento básico e os problemas na recolha de lixo, bem como a fragilidade das campanhas de vacinação em angola estiveram na origem da epidemia.

  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Mãe do guarda-redes da Chapecoense comove o Brasil
    1:37
  • Dezenas de mortos em bombardeamentos do Daesh em Mossul

    Daesh

    Dezenas de civis, entre os quais várias crianças, morreram e outros ficaram feridos em ataques de morteiro efetuados pelo grupo extremista Daesh em Mossul, disse à agência Efe o vice-comandante das forças antiterroristas iraquianas.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.

  • Tribunal chinês iliba jovem executado há 21 anos

    Mundo

    Nie Shubin foi fuzilado em 1995, na altura com 20 anos, depois de ter sido condenado por violação e assassinato de uma mulher, na cidade de Shijiazhuang. Agora, a justiça chinesa vem dizer que, afinal, o jovem era inocente, uma vez que não foram encontradas provas suficientes para o condenar.