sicnot

Perfil

Mundo

Guterres vence terceira votação para secretário-geral da ONU

O ex-primeiro-ministro português António Guterres ficou à frente na terceira votação secreta ocorrida esta segunda-feira entre os membros do Conselho de Segurança das Nações Unidas para eleger o próximo secretário-geral da organização, disseram fontes diplomáticas à Lusa.

Guterres teve 11 votos "encoraja", três "desencoraja" - o pior resultado de todas as votações - e um "sem opinião".

Durante a votação, cada um dos 15 membros do conselho indicou se "encoraja", "desencoraja" ou "não tem opinião" sobre os 11 candidatos.

Nas primeiras duas votações, que ocorreram a 21 de julho e 05 de agosto em Nova Iorque, António Guterres foi o candidato mais apoiado.

Na primeira votação, Guterres recebeu 12 votos de encorajamento e nenhum de desencorajamento. Na segunda, teve 11 votos "encoraja", dois votos "não tem opinião" e dois "desencoraja".

Neste momento, existem 10 candidatos ao cargo, metade dos quais mulheres.

O Conselho de Segurança continuará a realizar votações informais sobre os candidatos até que um surja como consensual, devendo depois o conselho recomendar um nome para aprovação pela Assembleia-Geral da ONU, que reúne representantes de 193 países.

A organização espera ter encontrado o sucessor de Ban Ki-moon, que termina o seu segundo mandato no final do ano, durante o outono.

A organização deve agora marcar uma quarta votação.

Há 10 anos, Ban Ki-moon foi escolhido depois de quatro votações. Na última, os votos dos membros com poder de veto eram assinalados, para perceber se os candidatos principais tinham a oposição de um destes países.

Lusa

  • Guterres cada vez mais perto de chefiar a ONU
    2:22

    Mundo

    António Guterres está cada vez mais perto de ser Secretário-Geral das Nações Unidas. Na segunda votação realizada esta sexta-feira 11 dos 15 membros do Conselho de Segurança concederam a Guterres o chamado o voto de encorajamento. O processo só deverá estar concluído em Novembro, numa altura em que passarão 15 anos desde que deixou a política nacional.

  • O impacto e as consequências do referendo em Itália
    1:02