sicnot

Perfil

Mundo

Mais de 300 renas mortas por raios na Noruega

© Norsk Telegrambyra AS / Reute

Mais de 300 renas selvagens morreram atingidas por raios no sul da Noruega, indicaram esta segunda-feira as autoridades norueguesas sobre o maior incidente do género de que há conhecimento até à data.

As 323 renas, incluindo 70 crias, foram encontradas na sexta-feira por um guarda de caça no planalto de Hardangervidda, um parque nacional onde o maior rebanho de renas selvagens - cerca de 10.000 - se move livremente.

Imagens de televisão mostraram os cadáveres dos animais deitados no chão, próximos uns dos outros.

"Houve tempestades muito fortes naquela zona na sexta-feira. Os animais mantêm-se juntos quando está mau tempo e estes foram atingidos por raios", disse um responsável da Agência Ambiental Norueguesa, Kjartan Knutsen, citado pela agência de notícias francesa AFP.

As renas são criaturas sociáveis e movem-se normalmente em rebanho.

"É incomum. Nunca tínhamos visto nada assim, numa escala destas", observou Knutsen.

As autoridades norueguesas deverão agora decidir o que fazer com os cadáveres dos animais.

"Vamos decidir em breve se deixamos a natureza seguir o seu rumo ou se fazemos alguma coisa", declarou.

Das 323 renas mortas, cinco tiveram de ser abatidas devido a ferimentos graves.

Existem cerca de 25.000 renas da tundra selvagem na Noruega, nas cadeias montanhosas do sul do país, de acordo com os especialistas.

Lusa

  • Atores recriam cena em que um homem é vítima de violência doméstica
    1:35
  • Ministério Público admite eventual detenção do presidente do governo da Catalunha
    2:24
  • Bispo vermelho

    "Recebia trabalhadores e sindicalistas, batia à porta de políticos e empresários, andava pelas ruas da cidade ao encontro dos que das ruas da cidade faziam casa". Joaquim Franco evoca Manuel Martins, o "bispo vermelho".

    Joaquim Franco

  • Apreendidos quase 7.000 comprimidos ilegais vendidos pela internet
    1:43

    País

    O Infarmed e a Autoridade Tributária apreenderam perto de 7.000 unidades de comprimidos ilegais.A apreensão aconteceu no âmbito de uma operação internacional da Interpol de combate aos medicamentos ilegais vendidos pela internet, explicou à SIC Luís Sande e Castro, diretor da Unidade de Inpeção do Infarmed.

  • Passageiro detido com 1 kg de ouro no reto

    Mundo

    Os funcionários da alfândega do aeroporto de Colombo, Sri Lanka, estranharam o comportamento de um passageiro que "caminhava com dificuldade". Um exame completo revelou a valiosa carga que levava escondida... no tubo intestinal.