sicnot

Perfil

Mundo

Venezuela acusa EUA de preparar golpe de Estado contra Maduro

Reuters

A Venezuela acusou os Estados Unidos da América de estar a alentar "fatores violentos, extremistas e antidemocráticos" no país para preparar um golpe de estado contra o Presidente Nicolás Maduro.

O golpe, segundo um comunicado do vice-Ministério das Relações Exteriores, terá lugar no próximo dia 1 de setembro, data em que a oposição venezuelana pretende "tomar" a cidade de Caracas, para exigir a realização de um referendo revogatório do mandado do Chefe de Estado.

"Ficou em evidência a marca e a autoria do golpe de Estado planificado para o vindouro 1 de setembro de 2016 na Venezuela, que em cumplicidade com a oposição antidemocrática e a direita internacional, tenta reeditar o gravoso expediente de agressões e morte, que, já no ano 2002 (afastamento temporário do poder do falecido líder socialista Hugo Chávez) o povo venezuelano derrotou com valentia e dignidade", lê-se no documento.

A nota sublinha que "o Governo do Presidente Barack Hussein Obama, com o seu extremismo, procura a instabilidade da Venezuela e da região, para legitimar os seus planos imperiais contra a paz e o desenvolvimento dos povos".

"A Venezuela alerta a comunidade internacional e responsabiliza diretamente o governo norte-americano destes planes conspiradores, que encontrarão no plano venezuelano uma muralha intransponível de moral e heroísmo, para derrotar as suas ações violentas nesta pátria de homens e mulheres anti-imperialistas", conclui.

A oposição venezuelana pretende manifestar-se no próximo dia 1 de setembro em Caracas para reforçar a sua exigência de realização de um referendo revogatório do mandato presidencial de Nicolás Maduro.

Lusa

  • Grupo armado mata 26 cristãos no Egipto
    1:03
  • O "chega p'ra lá" de Trump
    2:35
  • A promessa e a peregrinação do Presidente no Luxemburgo
    2:28
  • Álcool é "de longe" a droga mais consumida pelos portugueses

    País

    O álcool é, "de longe", a substância mais consumida pelos portugueses que responderam ao maior inquérito `online` sobre consumo de drogas, com mais de 14% dos homens a descreveram padrões considerados problemáticos, segundo os resultados hoje divulgados.