sicnot

Perfil

Mundo

Cerca de 10 mil mortos no conflito no Iémen desde março de 2015

Cerca de 10 mil pessoas morreram no conflito no Iémen desde marco de 2015, quando começou a intervenção da coligação árabe dirigida pela Arábia Saudita, disse esta terça-feira um responsável da ONU no país.

Falando numa conferência de imprensa na capital iemenita, Sanaa, o diretor do Gabinete para a Coordenação de Assuntos Humanitários da ONU (OCHA) no Iémen, Jamie McGoldrick, admitiu que o número ainda possa ser maior, dado basear-se em dados dos centros regionais de saúde, que não existem em todas as zonas do país.

Nas áreas sem hospitais, os cadáveres são sepultados sem que se registem as mortes, adiantou McGoldrick.

O responsável disse ainda que perto de três milhões de pessoas foram obrigadas a abandonar as suas casas e a deslocar-se para outras zonas do país, enquanto cerca de 200.000 fugiram do Iémen.

O conflito começou quando o movimento rebelde xiita dos "hutis" ocupou sem setembro de 2014 Sanaa e outras províncias do norte do Iémen, obrigando o presidente Abd Rabbo Mansur Hadi a fugir para Aden (sul) e depois para Riade, onde está exilado.

Em março de 2015, a coligação árabe começou a intervir no conflito em defesa do presidente Hadi.

Lusa

  • Dois jovens atropelados mortalmente no concelho de Montemor-o-Velho
    2:20
  • Presidente de "O Sonho" suspeito de peculato e fraude
    2:26

    País

    O presidente das três instituições de solidariedade social de Setúbal - incluindo "O Sonho" -, que na sexta-feira foram alvo de buscas, foi constituído arguido. Florival Cardoso é, por enquanto, o único suspeito de peculato e fraude na obtenção de subsídios para as instituições.

  • Manifestação contra mina de urânio junta milhares em Salamanca
    1:39
  • Assalto a Tancos e roubo de armas da PSP podem estar relacionados
    1:24

    País

    O assalto a Tancos e o roubo de armas da PSP, três recuperadas na semana passada, podem estar relacionados. O semanário Expresso avançou este sábado que há suspeitos de terem participado nos dois assaltos e o grupo, ou parte dele, atua principalmente do Algarve, com possíveis ligações a outras organizações espalhadas pelo país ou até transacionais.

  • Cessar-fogo de 30 dias na Síria
    2:07