sicnot

Perfil

Mundo

Diabos da Tasmânia evoluem para resistir a cancro que os ameaça de extinção

© Daniel Munoz / Reuters

Os diabos da Tasmânia podem estar a evoluir para resistir aos tumores faciais, doença mortal que os colocou em perigo de extinção, segundo um estudo publicado esta terça-feira na revista Nature Communications.

As conclusões do estudo sugerem que o mamífero marsupial carnívoro mais antigo do mundo está a transformar-se num curto lapso de tempo, entre quatro e seis gerações, para resistir a esse tipo de cancro.

Realizado pelo cientista Andrew Storfer e pela sua equipa de investigação da Universidade Estatal de Washington, o estudo debruçou-se sobre a genética dos diabos da Tasmânia (Sarcophilus Harrisii) de diversas zonas, tanto antes como depois do aparecimento da doença.

O tumor que afeta estes animais da ilha australiana da Tasmânia, que frequentemente é contraído através de ferimentos sofridos em lutas com outros exemplares da sua espécie, dado o seu elevado grau de agressividade, aparece na boca e aumenta de tamanho até causar deformações que os impedem de comer para sobreviver.

A população deste marsupial caiu em mais de 80% nas últimas duas décadas devido à doença e encontra-se na lista nacional da Austrália de animais em perigo de extinção e também na lista vermelha das Nações Unidas, por se considerar que num prazo de entre 25 e 35 anos poderá desaparecer.

Lusa

  • Leão de Ouro de Souto de Moura faz "muito bem à alma" dos portugueses
    1:53
  • "Sonho com um futuro melhor", o desejo de um jovem sírio em Portugal
    2:12

    País

    Mais de 50 jovens sírios chegaram esta madrugada a Lisboa, para iniciarem o novo ano letivo, em Portugal. Sonham com um futuro melhor. Sonham com uma educação melhor. Os 54 estudantes vieram ao abrigo do programa lançado pelo antigo Presidente da República, Jorge Sampaio, que nos últimos anos já deu uma nova oportunidade a cerca de 200 alunos.

  • Na linha do triunfo
    16:49
  • Chamas do incêndio no Europa Park na Alemanha atingiram os 15 metros de altura
    0:57