sicnot

Perfil

Mundo

Hollande propõe constituição de fundo europeu para defesa e segurança

© Charles Platiau / Reuters

O Presidente francês, François Hollande, propôs esta terça-feira a constituição de um fundo europeu para a defesa e a segurança, argumentando que uma das prioridades da União Europeia após o "Brexit" deveria ser dotar-se de capacidades militares.

"A Europa deve dotar-se de todas as capacidades militares" porque a solidariedade entre os países da UE implica que possam defender-se, considerou Hollande num discurso na tradicional reunião anual dos embaixadores franceses, em Paris.

O chefe de Estado francês acrescentou que os países que queiram ir mais longe na cooperação em matéria de defesa devem poder fazê-lo no quadro da cooperação reforçada prevista nos tratados europeus.

Insistiu que a decisão dos britânicos de abandonar a União Europeia (UE), em referendo realizado em junho, representa uma "crise do modelo europeu" e que, caso não seja travado, "este processo mina a construção europeia e conduz inexoravelmente à rutura" e à reintrodução das fronteiras nacionais na UE.

Numa explicação sobre os fatores que contribuíram para a crise atual, Hollande salientou que o fluxo de refugiados que chegou à Europa em 2015 "pôs em evidência fraturas enormes", e recordou que a postura francesa continua a ser a de proteger as fronteiras exteriores e as regras de funcionamento do espaço Schengen.

O controlo das fronteiras exteriores, realçou, significa "um controlo sistemático de cada entrada e de cada saída" no espaço Schengen, o que requer "um plano para a proteção das fronteiras exteriores".

Na próxima cimeira em Bratislava, em setembro, Hollande quer ver discutidas "as novas bases políticas" para esta estratégia, que passam por cinco propostas: proteger as fronteiras exteriores, construir a Europa da Defesa, duplicar o montante de investimento do Plano Juncker, a harmonização fiscal e social na zona euro e "dar uma esperança à juventude", com programas como o Erasmus.

Lusa

  • GNR só teve acesso às imagens das agressões em Alcochete 12 horas depois
    1:42

    Crise no Sporting

    A GNR não pôde visionar as imagens de videovigilância da Academia de Alcochete logo que chegou ao local. O sistema estava inoperacional, o que fez com que as imagens só fossem entregues quase 12 horas depois do ataque à equipa do Sporting. Entre as provas recolhidas, estão também impressões digitais e vestígios de sangue encontrados na zona do balneário.

  • Juiz considera que agressões em Alcochete foram "ato terrorista"
    1:59

    Crise no Sporting

    O juiz que decretou a prisão preventiva dos 23 detidos pelo ataque à Academia do Sporting considera que se tratou de um ato terrorista. Diz mesmo que os agressores tiveram um comportamento chocante e que perverte o espírito desportivo. Sete dos 23 detidos já foram condenados por outros crimes, mas não chegaram a pena de prisão.

  • Gonçalo Guedes: o menino franzino que jogava mais que os outros em Benavente
    8:47
  • A promessa que João Mário vai ter de cumprir se Portugal for campeão
    1:36
  • Aprovadas mudanças no acesso ao ensino superior

    País

    O Governo aprovou esta quinta-feira o decreto-lei que estabelece o currículo dos ensinos básico e secundário, bem como os princípios orientadores da avaliação, voltando a nota de Educação Física a contar para a média de acesso ao ensino superior. No caso dos alunos do ensino profissional, são eliminados requisitos considerados discriminatórios no acesso ao ensino superior.

  • Universidade de Coimbra não retira Honoris Causa a Lula
    3:30
  • Estudo acaba com teorias da conspiração sobre a morte de Hitler

    Mundo

    Existem algumas versões sobre o desaparecimento do ditador nazi, Adolf Hitler. Há quem diga que viajou para um país da América do Sul, outros acreditam que está escondido na Antártida e há até quem vá mais longe e acredita que estaria na Lua. Mas, teorias da conspiração à parte, a história oficial diz que Hitler suicidou-se num bunker, em Berlim, Alemanha.

    SIC