sicnot

Perfil

Mundo

Homem detido na Florida identificou-se como Vladimir Putin

Um homem detido durante uma altercação num supermercado no condado de Palm Beach, no Estado da Florida, no sudeste dos EUA, surpreendeu quem assistiu ao se identificar como Vladimir Putin, segundo a imprensa local.

O caso foi divulgado esta terça-feora, dia em que, segundo registo policial do condado, o homem foi libertado sob fiança, acusado de invasão de propriedade privada e resistência à autoridade.

Em 21 de agosto, o homónimo do Presidente da Federação Russa começou a gritar aos empregados de supermercado de West Palm Beach, no norte de Miami, negando-se a abandonar o lugar, até que a polícia chegou e o deteve.

Segundo a ficha policial, Vladimir Putin é um sem-abrigo de 48 anos.

Vladimir Putin está convocado para comparecer em tribunal na quinta-feira, avançaram os canais de televisão da zona.

Lusa

  • Ferro Rodrigues desvaloriza críticas do CDS
    3:24

    Caso CGD

    Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de receber em público Ferro Rodrigues antes de um almoço com o presidente da Assembleia da República. O Presidente também recebeu a representante do CDS-PP, Assunção Cristas, que foi apresentar queixa de Ferro Rodrigues e da maioria de esqueda em relação à comissão de inquérito da Caixa Geral de Depósitos. Ferro Rodrigues desvalorizou as críticas.

  • Luaty Beirão agredido em manifestação em Luanda
    1:27

    Mundo

    Luanda tem sido palco de várias manifestações contra a forma como está a decorrer o processo eleitoral em Angola. Esta sexta-feira, uma dessas manifestações acabou em confrontos com as autoridades. Entre os manifestantes estava o ativista Luaty Beirão.

  • Regime de Pyongyang nega envolvimento na morte de Kim Jong-nam 
    1:53

    Mundo

    A polícia da Malásia diz que o irmão do líder da Coreia do Norte foi morto com uma arma química. Os investigadores encontraram vestígios de gás VX no corpo de Kim Jong-nam, um gás letal proibido pelas convenções internacionais. O Governo da Coreia do Sul pediu esta sexta-feira ao regime de Pyongyang que admita que está por detrás da morte de Kim Jong-nam mas o mesmo já veio negar o envolvimento no assassinato.