sicnot

Perfil

Mundo

Chavistas e opositores em Caracas a favor e contra Nicolás Maduro

Nos próximos dois dias chavistas e opositores vão de novo medir forças nas ruas de Caracas, uns em defesa do Governo do Presidente Nicolás Maduro e outros procurando impulsionar a sua saída da Presidência da República.

Os revolucionários vão ser os primeiros a "tomar" as ruas de Caracas, em resposta a um apelo do chefe de Estado que denunciou que setores opositores estão a preparar, com o apoio dos Estados Unidos, um golpe de Estado para 01 de setembro.

A manifestação do chavismo começa hoje e, segundo o Partido Socialista Unido da Venezuela, os simpatizantes vão permanecer nas ruas até quinta-feira, com a missão de garantir a paz e impedir alegadas tentativas para criar violência nas concentrações opositoras.

Por outro lado, a oposição, queixando-se de perseguição aos líderes políticos e detenção de vários dirigentes, saíra às ruas a 01 de setembro, quinta-feira, para exigir às autoridades eleitorais que marquem a data para iniciar uma nova etapa do longo processo para realizar um referendo revogatório do mandado de Nicolás Maduro.

Os venezuelanos, incluindo indígenas do estado de Amazonas, iniciaram, há vários dias, marchas a partir várias regiões do interior para participarem na "toma de Caracas", uma concentração que a oposição insiste que ficará para a história e marcará o início da queda de Maduro.

Com quase duas dezenas de pontos de encontro, a oposição pretende encher as avenidas Libertador e Rio de Janeiro para concentrar-se depois na Avenida Francisco de Miranda (leste), chegando mesmo a anunciar que descartou concentrar-se na Avenida Bolívar, lugar onde os chavistas realizam grandes comícios, porque, segundo Jesus Torrealba, secretário da aliança opositora Mesa de Unidade Democrática, "ficará muito pequena".

Os chavistas insistem que a manifestação será uma repetição dos acontecimentos que, em abril de 2002, afastaram temporariamente Hugo Chávez (que liderou a Venezuela entre 1999 e 2013) do poder, mas a oposição insiste que não marchará até ao palácio presidencial de Miraflores.

Apesar de a Venezuela ter as maiores reservas petrolíferas do mundo, a economia atravessa grandes dificuldades que levaram o Presidente da República a decretar, em janeiro, o estado de emergência económica.

Habituada a lidar diariamente com a insegurança a população queixa-se da alta inflação e de dificuldades para conseguir produtos básicos, alimentos, medicamentos e outros, que escasseiam no mercado local.

Lusa

  • Marcelo lembra as consequências da demissão de Vítor Gaspar
    1:06

    Caso CGD

    O Presidente da República reitera que o assunto Caixa Geral de Depósitos está fechado. Em entrevista à TVI, Marcelo Rebelo de Sousa lembrou esta segunda-feira as consequências que a demissão de Vítor Gaspar, ministro das Finanças em 2013, provocou no sistema financeiro para justificar o facto de ter intervindo na polémica com as SMS trocadas entre Mário Centeno e António Domingues.

  • PSD e CDS admitem chamar António Costa à nova Comissão de Inquérito à CGD
    2:37

    Caso CGD

    PSD e CDS admitem chamar o primeiro-ministro à nova Comissão de Inquérito à CGD. Apesar de ser uma hipótese, a SIC sabe que os dois partidos ainda estão a definir o objeto do inquérito e, por isso, afirmam que é prematuro falar sobre eventuais audições. Seja como for, António Costa voltou esta segunda-feira a dizer que o assunto está encerrado.

  • Acha que conhece o seu país?
    27:42
  • Avioneta despenha-se em centro comercial de Melbourne

    Mundo

    Uma avioneta com cinco pessoas a bordo caiu num centro comercial perto do aeroporto de Essendon em Melbourne, capital da Austrália. Segundo a polícia do estado de Vitória tratava-se de um voo charter com destino a King Island, situada entre a parte continental da Austrália e a ilha da Tasmânia.

  • Pelo menos 18 detidos em protestos no Rio de Janeiro

    Mundo

    Pelo menos 18 pessoas foram esta segunda-feira detidas no Rio de Janeiro, Brasil, depois de confrontos com a polícia durante um protesto contra a privatização da empresa pública de saneamento, que serve o terceiro estado mais povoado do país.

  • O momento em que Kim Jong-nam terá sido envenenado
    1:21

    Mundo

    A investigação ao homicídio do meio-irmão do líder da Coreia do Norte no aeroporto da capital da Malásia está a provocar uma crise diplomática entre os dois países. Esta segunda-feira, um canal de televisão japonês divulgou imagens das câmaras de vigilância do aeroporto que alegadamente captam o momento em que Kim Jong-nam terá sido envenenado.

  • O atentado na Suécia inventado por Donald Trump
    2:12
  • Os ensaios para a maior festa do ano
    1:16

    Mundo

    Em contagem decrescente para o Carnaval, no Rio de Janeiro, já começaram os ensaios para a maior festa do ano. A noite de testes na avenida Marquês de Sapucaí conta com desfiles gratuitos.