sicnot

Perfil

Mundo

Vaticano vai criar ministério do desenvolvimento humano

O Vaticano anunciou esta quarta-feira a criação de um grande ministério "do desenvolvimento humano integral", encarregado da justiça, ambiente, saúde e solidariedade, mas deixando a questão das migrações sob a autoridade direta do papa.

Resultado da fusão de quatro serviços, o novo ministério ocupar-se-á "dos doentes e dos excluídos, das pessoas marginalizadas e das vítimas dos conflitos armados e das catástrofes naturais, dos detidos, dos desempregados e das vítimas de qualquer forma de escravatura ou tortura", segundo o decreto papal.

Mas como "não pode haver atualmente um serviço dedicado ao desenvolvimento humano integral sem uma atenção particular ao fenómeno migratório", esta questão será tratada por um departamento sob a autoridade direta do papa.

O superministério iniciará os trabalhos a 01 de janeiro de 2017 e será dirigido pelo cardeal ganês Peter Turkson, atualmente presidente do Conselho Pontifício para a Justiça e a Paz, um dos serviços integrados na nova estrutura.

Desde a sua eleição em 2013, o papa Francisco iniciou uma reforma profunda da Cúria, o governo do Vaticano, para economizar e juntar serviços cujas competências por vezes se sobrepunham.

Assim, foram criados em 2015 um grande ministério encarregado dos laicos, da família e da vida, bem como um secretariado único dedicado à comunicação.

Lusa

  • Acordo de concertação social assinado por todos os parceiros

    Economia

    Está assinado o acordo da Concertação Social que estipula a descida da TSU para as empresas como contrapartida do aumento do salário mínimo. Ao contrário do que é habitual, o momento não foi assinalado na sede do Conselho Económico e Social (CES), mas as assinaturas foram divulgadas no Twitter.

  • Oposição diz que défice abaixo dos 2,3% se deve ao aumento de impostos
    2:24

    Economia

    O défice de 2016 vai ficar abaixo dos 2,3%, uma garantia dada pelo primeiro-ministro durante o debate quinzenal desta terça-feira. A oposição diz que o resultado é bom para o país mas que se deve a um aumento de impostos, feito pelo Governo no ano passado, e ao trabalho do PSD e do CDS nos anos anteriores.