sicnot

Perfil

Mundo

Itália resgata mais de 1.800 pessoas no mar

A Itália voltou a coordenar o resgate de mais de 1.800 pessoas no mar, num novo dia de emergência que se junta aos últimos cinco, durante os quais foram salvas mais de 15 mil vidas humanas no Mediterrâneo.

Segundo fonte da guarda costeira italiana, foram realizadas 16 operações de resgate em seis dias, que permitiram o resgate de 16 mil pessoas.

A guarda costeira atribui o número às excelentes condições meteorológicas e ao estado do mar, calmo.

A Itália "não está à beira do colapso", assegurou recentemente o primeiro-ministro do país, Matteo Renzi, mas aquelas operações de socorro sublinham o problema da migração para a Europa ainda não foi resolvido.

A migração é um dos mais importantes desafios que a União Europeia enfrenta.

A Organização Internacional para as Migrações referiu recentemente que 322.914 pessoas conseguiram chegar à Europa no último ano depois de atravessarem o Mediterrâneo por diferentes rotas. A passagem custou a vida a pelo menos 2.500 pessoas.

A União Europeia conseguiu diminuir a chegada de migrantes à sua costa marítima com a assinatura de um acordo com a Turquia.

Lusa

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.