sicnot

Perfil

Mundo

Nicolás Maduro assegura que Governo impediu golpe de Estado

O Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, assegurou esta quinta-feira que o seu Governo impediu uma tentativa de golpe de Estado ao deter 92 paramilitares colombianos e vários dirigentes políticos da oposição.

O chefe de Estado explicou que há dois dias foram capturados 92 paramilitares colombianos que estavam acampados próximo do Palácio de Miraflores, sede da Presidência, e assegurou que a oposição venezuelana tinha conhecimento.

"Agora dizem que não iam dar um golpe de Estado, estão ai os vídeos (...) Para que vejam que ameaçaram com um assalto a Caracas, a Miraflores e que a 01 de setembro se acabava tudo", salientou Nicolás Maduro.

Os serviços secretos venezuelanos detiveram vários dirigentes políticos da oposição esta semana, antes da realização da manifestação de hoje.

Nicolás Maduro assegurou que aqueles "dirigente da direita golpista" foram detidos por terem "planos para colocar bombas" e atacar os venezuelanos.

O chefe de Estado salientou que o presidente do parlamento "sabia de todos os planos" golpistas e que, pelas suas expressões "fascistas de ódio e que promovem a violência", o vai apresentar aos tribunais nacionais e internacionais.

Lusa

  • Venezuelanos exigem referendo revogatório do mandato de Nicolás Maduro
    0:25

    Mundo

    Opositores do presidente Venezuelano vieram esta quinta-feira para as ruas exigir um calendário para o referendo revogatório do mandato de Nicolás Maduro. Milhares de pessoas encheram as ruas da capital, Caracas, e manifestaram desagrado com o rumo do país e com a crise económica que está instalada. Queixam-se das condições de vida, do desemprego, da insegurança e da falta de alimentos. O presidente Nicolas Maduro fala numa tentativa de golpe de Estado apoiada pelos Estados Unidos e, nos últimos dias, foram detidos vários opositores. O protesto é intitulado "Tomada de Caracas".

  • A cronologia da crise política na Venezuela

    Mundo

    A crise política na Venezuela tem vindo a aprofundar-se com a oposição a insistir na realização de um referendo para revogar o mandato do Presidente do país, Nicolás Maduro, levando esta quinta-feira milhares a protestarem na rua.

  • Paula Brito e Costa continua a trabalhar na Raríssimas

    País

    Depois de ter apresentado a demissão do cargo de presidente da Raríssimas, Paula Brito e Costa mantém-se a exercer funções na associação, apurou a SIC. Identifica-se agora como diretora-geral e já comunicou isso mesmo a alguns funcionários.

  • As IPSS são estruturantes no país. Fazem o que Estado não faz porque não pode, não quer, ou não chega a tudo. Chama-se sociedade civil a funcionar. E o Estado subsidia, ajuda, (com)participa, apoia. Nada contra. A questão é quando as IPSS e outras instituições, fundações, associações, federações e quejandas se tornam verdadeiras "indústrias".

    Pedro Cruz

  • O ano "saboroso" de António Costa
    0:51

    País

    António Costa diz que 2017 foi um ano "saboroso" para Portugal. Num encontro com funcionários portugueses, em Bruxelas, antes do Conselho Europeu desta quinta-feira, o primeiro-ministro realçou o que o país conquistou no último ano, no plano europeu, e que culminou com a eleição de Mário Centeno para a Presidência do Eurogrupo.

  • Lince ibérico esteve à venda no OLX

    País

    Um anúncio de venda de um lince ibérico, por 1.500 euros, foi publicado esta semana no site de classificados OLX, com uma morada de Alcoutim, no Algarve. A autenticidade da publicação não foi confirmada, mas em setembro foi encontrada a coleira de um lince ibérico precisamente em Alcoutim. As autoridades estão a investigar.

    SIC

  • Estabilização dos solos nas áreas ardidas
    1:58

    País

    Está a começar uma intervenção de emergência para estabilizar os solos nas áreas ardidas nos incêndios florestais. O trabalho das equipas que estão no terreno arrancou na zona da Lousã mas vai passar por vários concelhos como Pampilhosa da Serra e Vila Real.