sicnot

Perfil

Mundo

Nicolás Maduro assegura que Governo impediu golpe de Estado

O Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, assegurou esta quinta-feira que o seu Governo impediu uma tentativa de golpe de Estado ao deter 92 paramilitares colombianos e vários dirigentes políticos da oposição.

O chefe de Estado explicou que há dois dias foram capturados 92 paramilitares colombianos que estavam acampados próximo do Palácio de Miraflores, sede da Presidência, e assegurou que a oposição venezuelana tinha conhecimento.

"Agora dizem que não iam dar um golpe de Estado, estão ai os vídeos (...) Para que vejam que ameaçaram com um assalto a Caracas, a Miraflores e que a 01 de setembro se acabava tudo", salientou Nicolás Maduro.

Os serviços secretos venezuelanos detiveram vários dirigentes políticos da oposição esta semana, antes da realização da manifestação de hoje.

Nicolás Maduro assegurou que aqueles "dirigente da direita golpista" foram detidos por terem "planos para colocar bombas" e atacar os venezuelanos.

O chefe de Estado salientou que o presidente do parlamento "sabia de todos os planos" golpistas e que, pelas suas expressões "fascistas de ódio e que promovem a violência", o vai apresentar aos tribunais nacionais e internacionais.

Lusa

  • Venezuelanos exigem referendo revogatório do mandato de Nicolás Maduro
    0:25

    Mundo

    Opositores do presidente Venezuelano vieram esta quinta-feira para as ruas exigir um calendário para o referendo revogatório do mandato de Nicolás Maduro. Milhares de pessoas encheram as ruas da capital, Caracas, e manifestaram desagrado com o rumo do país e com a crise económica que está instalada. Queixam-se das condições de vida, do desemprego, da insegurança e da falta de alimentos. O presidente Nicolas Maduro fala numa tentativa de golpe de Estado apoiada pelos Estados Unidos e, nos últimos dias, foram detidos vários opositores. O protesto é intitulado "Tomada de Caracas".

  • A cronologia da crise política na Venezuela

    Mundo

    A crise política na Venezuela tem vindo a aprofundar-se com a oposição a insistir na realização de um referendo para revogar o mandato do Presidente do país, Nicolás Maduro, levando esta quinta-feira milhares a protestarem na rua.

  • Sismo de magnitude 4,0 provoca um morto em Nápoles

    Mundo

    Um sismo de magnitude 4,0 na escala de Richter atingiu esta segunda-feira a ilha de Ísquia no golfo de Nápoles, no mar Tirreno, no sul de Itália. De acordo com o jornal La Stampa uma mulher terá morrido e dois feridos estarão em perigo de vida.

  • A easyJet não está a oferecer bilhetes no Facebook. Cuidado, é uma burla

    País

    Se esteve no Facebook nos últimos dias, provavelmente reparou na oferta de dois bilhetes para uma viagem da easyJet, a propósito do 22.º aniversário da companhia aérea britânica. Uma viagem para dois tinha tudo para correr bem, não fosse um esquema de burla, criado para obter os dados pessoais dos utilizadores que partilham a publicação na rede social.

  • Brasileiros procuram Portugal
    3:59

    País

    Viver em Portugal é hoje em dia um grande sonho da classe média brasileira. De acordo com o Ministério dos Negócios Estrangeiros, só em 2016, o número de vistos de residência aumentarem em mais de 30%. A língua, a segurança e a qualidade de vida são as razões apontadas para a mudança. Todos os dias, no consulado português no Rio de Janeiro, para a obtenção de vistos.

  • Big Ben em silêncio durante quatro anos
    2:15

    Mundo

    Esta segunda-feira ficou marcada pelas últimas badaladas dos famosos sinos do Big Ben, em Londres, no Reino Unido. A torre, na qual está instalada o relógio mais famoso do mundo, vai entrar em obras e os sinos só vão voltar a tocar em 2021.

  • Garrafa lançada ao mar em Rhodes recebe resposta de Gaza
    1:43

    Mundo

    A história parece de filme, mas aconteceu numa praia de Gaza. Um casal britânico lançou uma garrafa com uma mensagem ao mar, em julho, na ilha grega de Rhodes. A garrafa foi encontrada por um pescador numa praia de Gaza, que aproveitou para enviar a resposta, na qual falou sobre as restrições impostas por Israel.