sicnot

Perfil

Mundo

Black Eyed Peas reeditam "Where Is The Love" para apelar ao fim da violência

Black Eyed Peas reeditam "Where Is The Love" para apelar ao fim da violência

Os Black Eyed Peas reuniram-se com vários artistas internacionais para reeditar a música "Where Is The love?", com o objetivo de chamar a atenção para a violência que está a afetar o mundo neste momento. Veja aqui o novo vídeo.

Criada em 2003, "Where Is The Love" foi inspirada nos problemas mundiais, como o terrorismo, o racismo, a poluição, a guerra, a intolerância, o crime e a violência contra a comunidade LGBT.

"Where Is The Love" aparece novamente numa altura em que o mundo está sob a ameaça terrorista do Daesh, em que pessoas negras continuam a ser mortas pelas autoridades nos EUA, em que a fome continua a existir e o aquecimento global é uma realidade.

A música é relançada com uma melodia renovada e um videoclip novo, com vários artistas internacionais a dar a cara por aquilo que a música defende: o fim da violência. A música pede a todas as pessoas que parem com o ódio e a violência, que resulta sempre na perda de muitas vidas.

A will.i.am, apl.de.ap, Taboo e Fergie juntam-se Justin Timberlake, Jamie Foxx, Ty Dolla $ign, Mary J. Blige, Diddy, Cassie, Andra Day, The Game, Tori Kelly, V. Bozeman, Jessie J, French Montana, DJ Khaled, Usher, Nicole Scherzinger, A$AP Rocky, Jaden Smith, entre muitos outros. Para além destes artistas, também aparecem familiares dos jovens negros mortos nos EUA.

Num vídeo publicado pelos Black Eyed Peas, will.i.am falou sobre o motivo de reeditar a música: "Quando a cidade de Paris foi atacada, as pessoas disseram-me que o Where Is The Love precisava de voltar. E depois foi a Bélgica. A Turquia e Orlando. E depois Alton, Philando e Dallas. Toda a gente nos pedia "precisamos da música de volta".

O lucro de "#WHERESTHELOVE" vai reverter a favor da Fundação i.am.angel de will.I.Am, que financia programas e bolsas de estudo.

  • Paula Brito e Costa continua a trabalhar na Raríssimas

    País

    Depois de ter apresentado a demissão do cargo de presidente da Raríssimas, Paula Brito e Costa mantém-se a exercer funções na associação, apurou a SIC. Identifica-se agora como diretora-geral e já comunicou isso mesmo a alguns funcionários.

  • As IPSS são estruturantes no país. Fazem o que Estado não faz porque não pode, não quer, ou não chega a tudo. Chama-se sociedade civil a funcionar. E o Estado subsidia, ajuda, (com)participa, apoia. Nada contra. A questão é quando as IPSS e outras instituições, fundações, associações, federações e quejandas se tornam verdadeiras "indústrias".

    Pedro Cruz

  • O ano "saboroso" de António Costa
    0:51

    País

    António Costa diz que 2017 foi um ano "saboroso" para Portugal. Num encontro com funcionários portugueses, em Bruxelas, antes do Conselho Europeu desta quinta-feira, o primeiro-ministro realçou o que o país conquistou no último ano, no plano europeu, e que culminou com a eleição de Mário Centeno para a Presidência do Eurogrupo.

  • Lince ibérico esteve à venda no OLX

    País

    Um anúncio de venda de um lince ibérico, por 1.500 euros, foi publicado esta semana no site de classificados OLX, com uma morada de Alcoutim, no Algarve. A autenticidade da publicação não foi confirmada, mas em setembro foi encontrada a coleira de um lince ibérico precisamente em Alcoutim. As autoridades estão a investigar.

    SIC

  • Estabilização dos solos nas áreas ardidas
    1:58

    País

    Está a começar uma intervenção de emergência para estabilizar os solos nas áreas ardidas nos incêndios florestais. O trabalho das equipas que estão no terreno arrancou na zona da Lousã mas vai passar por vários concelhos como Pampilhosa da Serra e Vila Real.