sicnot

Perfil

Mundo

Black Eyed Peas reeditam "Where Is The Love" para apelar ao fim da violência

Black Eyed Peas reeditam "Where Is The Love" para apelar ao fim da violência

Os Black Eyed Peas reuniram-se com vários artistas internacionais para reeditar a música "Where Is The love?", com o objetivo de chamar a atenção para a violência que está a afetar o mundo neste momento. Veja aqui o novo vídeo.

Criada em 2003, "Where Is The Love" foi inspirada nos problemas mundiais, como o terrorismo, o racismo, a poluição, a guerra, a intolerância, o crime e a violência contra a comunidade LGBT.

"Where Is The Love" aparece novamente numa altura em que o mundo está sob a ameaça terrorista do Daesh, em que pessoas negras continuam a ser mortas pelas autoridades nos EUA, em que a fome continua a existir e o aquecimento global é uma realidade.

A música é relançada com uma melodia renovada e um videoclip novo, com vários artistas internacionais a dar a cara por aquilo que a música defende: o fim da violência. A música pede a todas as pessoas que parem com o ódio e a violência, que resulta sempre na perda de muitas vidas.

A will.i.am, apl.de.ap, Taboo e Fergie juntam-se Justin Timberlake, Jamie Foxx, Ty Dolla $ign, Mary J. Blige, Diddy, Cassie, Andra Day, The Game, Tori Kelly, V. Bozeman, Jessie J, French Montana, DJ Khaled, Usher, Nicole Scherzinger, A$AP Rocky, Jaden Smith, entre muitos outros. Para além destes artistas, também aparecem familiares dos jovens negros mortos nos EUA.

Num vídeo publicado pelos Black Eyed Peas, will.i.am falou sobre o motivo de reeditar a música: "Quando a cidade de Paris foi atacada, as pessoas disseram-me que o Where Is The Love precisava de voltar. E depois foi a Bélgica. A Turquia e Orlando. E depois Alton, Philando e Dallas. Toda a gente nos pedia "precisamos da música de volta".

O lucro de "#WHERESTHELOVE" vai reverter a favor da Fundação i.am.angel de will.I.Am, que financia programas e bolsas de estudo.

  • Solução governativa à esquerda "devolveu tranquilidade à sociedade"
    0:58

    País

    O primeiro-ministro diz que a atual solução de Governo deve continuar tendo vantagens por ser como é. Ao Expresso, António Costa manifestou-se "muito satisfeito" com a solução governativa encontrada e afirmou que esta "não depende de haver ou não maioria" absoluta na próxima legislatura.

  • O regresso a casa depois do incêndio no Sardoal
    2:43