sicnot

Perfil

Mundo

Governo irlandês de acordo para recorrer de decisão sobre Apple

O governo irlandês decidiu recorrer da decisão de Bruxelas de exigir à Apple o pagamento a Dublin de 13 mil milhões de euros em impostos, anunciou um porta-voz do Ministério das Finanças da Irlanda.

"O governo foi unânime para recorrer da decisão", indicou o porta-voz à AFP, depois de uma aparente divisão governamental sobre o assunto. Será agora entregue um pedido no parlamento tendo em vista a aprovação desta deliberação.

A Comissão Europeia afirmou na terça-feira que a Irlanda concedeu benefícios fiscais ilegais à Apple, ordenando a Dublin que recupere 13 mil milhões de euros junto da empresa tecnológica norte-americana por impostos não cobrados entre 2003 e 2014.

O parlamento irlandês deverá reunir-se na quarta-feira para analisar o assunto, antecipando um recomeço dos trabalhos que estava previsto só para dia 27, de acordo com fontes oficiais.

A Apple também prometeu recorrer da decisão da Comissão Europeia, duramente criticada pelo líder da empresa, Tim Cook, que instou o governo irlandês a contestá-la para garantir o investimento no país, mas as sondagens apontam para o apoio público à reposição do dinheiro para ser gasto em questões sociais.

Lusa

  • Passos acusa Governo de "sacudir água do capote"

    País

    O líder do PSD, Pedro Passos Coelho, acusou este sábado o Governo de "sacudir a água do capote" para não assumir a responsabilidade pelo que está a ser decidido, usando uma política de comunicação que considerou ser um "embuste".

  • Quase 200 polícias solidários com agentes acusados
    2:29

    País

    Perto de 200 polícias manifestaram-se este sábado na sede da PSP em Alfragide, em solidariedade com os 18 agentes acusados no processo Cova da Moura. O Sindicato Nacional de Polícia associou-se ao protesto e diz existir um aproveitamento político do caso.

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.