sicnot

Perfil

Mundo

Rajoy fracassa segunda votação de investidura

O líder do Partido Popular espanhol, Mariano Rajoy, fracassou esta sexta-feira a segunda votação de investidura no parlamento, tendo 180 deputados votado contra e 170 a favor, o mesmo número da votação de quarta-feira.

O atual chefe do Governo em funções e líder do Partido Popular (PP, direita) teve os mesmos apoios da primeira volta: 137 deputados do PP, 32 do partido de centro-direita Ciudadanos e um do partido regional Coligação Canária.

O resto da assembleia votou contra, entre eles os 85 do Partido Socialista Operário Espanhol (PSOE) e os 71 da coligação da esquerda radical Unidos Podemos.

Na votação realizada no Congresso dos Deputados, Rajoy precisava hoje de obter mais votos a favor do que contra, ao contrário da votação anterior em que necessitada da maioria absoluta da assembleia, 176 votos num total de 350.

O resultado que já era esperado confirma o período de grande incerteza política em que Espanha vive e que se não for desfeito até 31 de outubro próximo irá significar a dissolução do parlamento e a convocação de novas eleições 54 dias depois, provavelmente para 25 de dezembro.

Se isso acontecer, serão as terceiras eleições legislativas que se realizam no espaço de um ano, depois de na primeira consulta, em 20 de dezembro de 2015, e na segunda, em 26 de junho deste ano, as quatro principais forças políticas espanholas (PP, PSOE, Unidos Podemos e Ciudadanos) não terem conseguido chegar a um acordo para formar um Governo estável em Espanha.

A presidente do Congresso dos Deputados, Ana Pastor, vai ainda hoje comunicar o resultado da votação ao rei, Filipe VI, que deverá iniciar nos próximos dias mais uma ronda de conversações com os partidos políticos espanhóis para tentar encontrar um novo candidato para o lugar de chefe do Governo.

Nas eleições de 26 de junho, o PP foi o partido mais votado (33,0 % dos votos e 137 deputados), seguido pelo PSOE (22,7 % e 85), Unidos Podemos (21,1 % e 71) e Ciudadanos (13,0 % e 32).

Lusa

  • Paulo Macedo pede calma para o bem do banco
    1:45

    Caso CGD

    Paulo Macedo falou pela primeira vez desde que foi eleito o novo Presidente da Caixa Geral de Depósitos e, para o bem do banco público, pediu calma a todos. Passos Coelho veio dizer que a recapitalização da Caixa pode ter de ser feita no verão do próximo ano para salvaguardar o défice deste ano. Já António Costa preferiu não comentar as declarações de Passos e diz que o banco público há muito que precisava de ser recapitalizado.

  • Condutores continuam com dúvidas em como circular numa rotunda
    2:06

    País

    Circular nas rotundas continua a ser um problema para muitos condutores. Cerca de 3 mil foram multados nos últimos três anos depois da entrada em vigor do novo código, os números são avançados pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária. Os instrutores de condução dizem que a medida provoca mais confusão nas horas de ponta.

  • O que aconteceu à menina síria que relatava a guerra no Twitter?
    1:59
  • Youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Reportagem da SIC "Renegados"
    1:27

    Grande Reportagem SIC

    O youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Grande Reportagem SIC "Renegados". Desde ontem já teve 67 mil visualizações no Facebook. Imagine que ia renovar o cartão de cidadão e diziam-lhe que afinal não é português? Mesmo tendo nascido, crescido, estudado e trabalhado sempre em Portugal? Foi o que aconteceu a inúmeras pessoas que nasceram depois de 1981, quando a lei da nacionalidade foi alterada.«Renegados» é como se sentem estes filhos de uma pátria que os excluiu. Para ver, esta quarta-feira, no Jornal da Noite da SIC.

  • "A nossa guerra não deixou heróis, só vilões e vítimas"
    5:26

    Mundo

    Luaty Beirão é o rosto mais visível de um movimento de contestação ao regime angolano que começou em 2011, ano da Primavera árabe. Mas a par dos 15+2, mediatizados num processo que os condenou por lerem um livro, outros activistas arriscam diariamente a liberdade.