sicnot

Perfil

Mundo

Cinco desaparecidos na derrocada em Israel

© Nir Elias / Reuters

Duas pessoas morreram e 23 ficaram feridas esta segunda-feira quando um parque de estacionamento subterrâneo em construção em Telavive abateu, segundo a polícia e as equipas de socorro que prosseguem esforços para salvar cinco pessoas soterradas nos escombros.

As equipas de busca e salvamento disseram ter detetado sinais de vida de duas vítimas nas ruínas do estacionamento em construção no nordeste da cidade israelita, indicou a polícia, mas a imprensa noticiou a interrupção do contacto com uma das pessoas e que ela estará presumivelmente morta.

Cinco pessoas foram resgatadas dos escombros, segundo um comunicado do exército, que enviou mais de 300 soldados para participar na operação de salvamento no estaleiro de construção que se transformou numa enorme cratera coberta de areia e pedras, de onde emergem pilares de betão e vigas metálicas.

As imagens televisivas mostraram paramédicos a retirar dois feridos em macas, inertes e com o corpo coberto de pó.

Vários feridos conseguiram libertar-se sozinhos dos escombros antes de receber ajuda dos socorristas.

Cães, incluindo os das unidades militares especializadas na busca de desaparecidos, andavam atarefados no meio dos escombros do parque subterrâneo de quatro pisos a procurar sobreviventes, enquanto equipas de resgate com coletes fluorescentes escavavam o solo aos poucos.

O perímetro em que se encontravam dezenas de socorristas, bombeiros e polícias foi vedado para facilitar o encaminhamento da ajuda.

Os serviços de socorro David Magen Adom disseram que as buscas durarão pelo menos dois dias.

As circunstâncias em que se deu o desabamento da construção, situada no bairro de Ramat Hahayal, onde estão instaladas grandes empresas do setor da alta tecnologia, não estão ainda esclarecidas.

"Quando cheguei, deparei com muitos feridos que ainda estavam conscientes e que se libertaram dos escombros pelos seus próprios meios", disse Moshe Levy, um voluntário da organização de socorro United Hatzalah.

"O teto de uma garagem parece ter abatido. Enquanto elementos da nossa unidade de paramédicos tratavam os feridos no local, fomos informados de que provavelmente havia pessoas presas sob os escombros", disse, citado pela United Hatzalah.

Depois de a polícia ter excluído a hipótese de um atentado, este desmoronamento deverá chamar novamente a atenção para as más condições de segurança nos estaleiros de obras em Israel.

O país tem um dos níveis de acidentes mais elevados do mundo ocidental no setor da construção, duas vezes mais elevado que a média europeia, indicava um relatório do Ministério da Economia e da Segurança Social divulgado em maio na imprensa.

Entre 2000 e 2015, morreram 480 pessoas em estaleiros de obras, segundo o relatório, que coloca Israel nos três piores alunos de uma lista que inclui 20 países da Europa e os Estados Unidos. Só Portugal e Chipre estão mais mal classificados.

De acordo com a polícia israelita, 28 pessoas morreram em estaleiros de construção desde o início deste ano.

Lusa

  • Família perde tudo na aldeia de Queirã
    2:32
  • Temperaturas sobem no fim de semana, risco de incêndio aumenta
    1:08

    País

    A chuva que caiu nos últimos dias não deverá ter impactos relevantes na dominuição da seca e, por isso, o risco de incêndios vai voltar a aumentar com nova subida das temperaturas. Os termómetros podem chegar aos 30 graus entre domingo e quarta-feira.

  • Não me parece o melhor princípio político, mas percebo que António Costa queira ter junto de si, sobretudo em tempos difíceis, os mais próximos. Os homens de confiança pessoal e política. Em plena tempestade, o primeiro-ministro chamou dois amigos de longa data, ex-colegas da Faculdade de Direito, Eduardo Cabrita e Pedro Siza Vieira. E eles não disseram que não.

    Bernardo Ferrão