sicnot

Perfil

Mundo

Merkel mantém política alemã sobre refugiados apesar de derrota eleitoral

© Hannibal Hanschke / Reuters

A chanceler alemã, Angela Merkel, garantiu hoje que continuará a defender as "linhas mestras" da sua política sobre refugiados, considerando-as corretas, apesar da derrota eleitoral nas eleições regionais no estado de Mechlemburgo-Antepomerânia, gangas pela direita populista.

Em declarações aos jornalistas após o fim da Cimeira do G20, que decorreu em Hangzhou (China), Merdel considerou que a União Cristã Democrata (CDU), que lidera, deve perceber que "muitas pessoas não têm agora a confiança suficiente" na defesa desse ideal, razão pela qual o partido deve trabalhar "intensamente para a recuperar".

"Muito descontente" com os resultados no Estado de onde é natural, na região da extinta República Democrática Alemã (RDA), Merkel assumiu ser corresponsável pelos resultados, salientando que a campanha esteve sempre dominada por temas nacionais, como a crise dos refugiados e o direito à integração e não por temas regionais.

"A base das decisões aprovadas nos últimos meses é correta", assegurou, pondo de parte uma eventual mudança de estratégia e admitindo que a CDU "tem muito trabalho pela frente".

A chanceler alemã defendeu, por outro lado, o acordo firmado entre a União Europeia (UEE) e a Turquia para a devolução de refugiados e imigrantes ilegais e, ao mesmo tempo, reduzir o número dos que pedem asilo depois de chegarem à Alemanha (que recebeu cerca de 1,1 milhões de pessoas), melhorar a integração e impulsionar as expulsões de quem não tem direito a permanecer no país.

Na opinião de Merkel, a Alemanha consegui "já muito", embora esteja claro que haverá que convencer os cidadãos de que se trata do caminho correto a seguir.

Questionada sobre se a derrota eleitoral pode influir na decisão de voltar a apresentar-se como candidata à Chancelaria alemã para uma quarta legislatura nas eleições gerais de 2017, Merkel limitou-se a repetir que anunciará uma decisão "no momento oportuno".

  • A easyJet não está a oferecer bilhetes no Facebook. Cuidado, é uma burla

    País

    Se esteve no Facebook nos últimos dias, provavelmente reparou na oferta de dois bilhetes para uma viagem da easyJet, a propósito do 22.º aniversário da companhia aérea britânica. Uma viagem para dois tinha tudo para correr bem, não fosse um esquema de burla, criado para obter os dados pessoais dos utilizadores que partilham a publicação na rede social.

  • Brasileiros procuram Portugal
    3:59

    País

    Viver em Portugal é hoje em dia um grande sonho da classe média brasileira. De acordo com o Ministério dos Negócios Estrangeiros, só em 2016, o número de vistos de residência aumentarem em mais de 30%. A língua, a segurança e a qualidade de vida são as razões apontadas para a mudança. Todos os dias, no consulado português no Rio de Janeiro, para a obtenção de vistos.

  • Big Ben em silêncio durante quatro anos
    2:15

    Mundo

    Esta segunda-feira ficou marcada pelas últimas badaladas dos famosos sinos do Big Ben, em Londres, no Reino Unido. A torre, na qual está instalada o relógio mais famoso do mundo, vai entrar em obras e os sinos só vão voltar a tocar em 2021.

  • Garrafa lançada ao mar em Rhodes recebe resposta de Gaza
    1:43

    Mundo

    A história parece de filme, mas aconteceu numa praia de Gaza. Um casal britânico lançou uma garrafa com uma mensagem ao mar, em julho, na ilha grega de Rhodes. A garrafa foi encontrada por um pescador numa praia de Gaza, que aproveitou para enviar a resposta, na qual falou sobre as restrições impostas por Israel.