sicnot

Perfil

Mundo

Merkel mantém política alemã sobre refugiados apesar de derrota eleitoral

© Hannibal Hanschke / Reuters

A chanceler alemã, Angela Merkel, garantiu hoje que continuará a defender as "linhas mestras" da sua política sobre refugiados, considerando-as corretas, apesar da derrota eleitoral nas eleições regionais no estado de Mechlemburgo-Antepomerânia, gangas pela direita populista.

Em declarações aos jornalistas após o fim da Cimeira do G20, que decorreu em Hangzhou (China), Merdel considerou que a União Cristã Democrata (CDU), que lidera, deve perceber que "muitas pessoas não têm agora a confiança suficiente" na defesa desse ideal, razão pela qual o partido deve trabalhar "intensamente para a recuperar".

"Muito descontente" com os resultados no Estado de onde é natural, na região da extinta República Democrática Alemã (RDA), Merkel assumiu ser corresponsável pelos resultados, salientando que a campanha esteve sempre dominada por temas nacionais, como a crise dos refugiados e o direito à integração e não por temas regionais.

"A base das decisões aprovadas nos últimos meses é correta", assegurou, pondo de parte uma eventual mudança de estratégia e admitindo que a CDU "tem muito trabalho pela frente".

A chanceler alemã defendeu, por outro lado, o acordo firmado entre a União Europeia (UEE) e a Turquia para a devolução de refugiados e imigrantes ilegais e, ao mesmo tempo, reduzir o número dos que pedem asilo depois de chegarem à Alemanha (que recebeu cerca de 1,1 milhões de pessoas), melhorar a integração e impulsionar as expulsões de quem não tem direito a permanecer no país.

Na opinião de Merkel, a Alemanha consegui "já muito", embora esteja claro que haverá que convencer os cidadãos de que se trata do caminho correto a seguir.

Questionada sobre se a derrota eleitoral pode influir na decisão de voltar a apresentar-se como candidata à Chancelaria alemã para uma quarta legislatura nas eleições gerais de 2017, Merkel limitou-se a repetir que anunciará uma decisão "no momento oportuno".

  • "Cada drama, cada problema, cada testemunho, impressiona muito"
    1:55
  • Clínica veterinária em Tondela recebeu dezenas de animais feridos nos fogos
    2:57
  • Temperaturas sobem até ao final do mês
    1:09

    País

    O tempo não dá tréguas e, até ao final do mês, as temperaturas vão atingir valores acima do normal para esta época do ano. As temperaturas máximas vão subir entre os 25 e os 32 graus. O risco de incêndio aumenta a partir desta segunda-feira em todo o país e os meios aéreos, viaturas, operacionais e equipas de patrulha vão ser reforçados.

  • Maioria das praias do Algarve já não tem nadador-salvador
    2:19

    País

    A lei não obrigada os concessionários a garantir o serviço e, por isso, a esmagadora maioria das praias do Algarve está sem vigilância desde 30 de setembro. Ainda assim, os areais vão atraindo milhares de banhistas com as temperaturas altas que ainda se fazem sentir. Um nadador-salvador recomenda os banhistas a não nadar e, em dias de ondulação, evitar caminhadas à beira-mar.

  • Parlamento catalão vai responder à ativação do artigo 155
    1:54
  • A história por detrás da fotografia que correu (e impressionou) o Mundo

    Mundo

    Depois dos incêndios da semana passada na Galiza, começou a circular na internet e nas redes sociais a imagem de uma cadela que alegadamente levava a sua cria carbonizada na boca. Contudo, a cadela é na verdade macho e chama-se Jacki. Esta é a história do cão que passou os dias após os fogos a recolher animais mortos para os enterrar num campo perto de uma igreja, em Coruxo, Vigo.

    SIC

  • Quando o cão de Macron fez chichi no gabinete do Presidente francês
    0:31