sicnot

Perfil

Mundo

Café mais forte do mundo bebe-se muito devagar e é impróprio para cardíacos

O café mais forte do mundo é servido em Adelaide, na Austrália. Desaconselhado a pessoas com problemas cardíacos, é incomparavelmente mais poderoso do que qualquer outro. Uma simples chávena contém 80 vezes mais cafeína do que uma chávena de café normal.

Conta-se que este café foi feito pela primeira vez por uma enfermeira. A necessidade de estar acordada a trabalhar por longos período fez com que apurasse a técnica de produzir um café 200% mais forte. O resultado foi uma bebida que ingeriu lentamente, durante 48 horas, e que a manteve três dias acordada.

Facebook/ Viscous Coffee

Facebook/ Viscous Coffee

Facebook/ Viscous Coffee

A verdade é que o café que se vende no Viscous Coffee, em Adelaide, é capaz de manter um indivíduo em alerta durante muitas horas. Steve Benington, proprietário do estabelecimento, explicou ao site Mashable que o Ass Kicker, como foi ironicamente batizado, é vendido com uma advertência de que é impróprio para pessoas com problemas cardíacos e hipertensão.

Mesmo quem não sofre do coração, deverá ingerir este café muito lentamente e nunca num simples trago. Alguns especialistas alertam para os riscos desta bebida, em especial se for consumida rapidamente.

Uma dose fatal de cafeína andará à volta dos 18 gramas. Uma chávena de Ass Kicker contém cerca de 5 gramas e deve ser bebido durante um período de 3 a 4 horas.

Com um sabor mais semelhante ao caramelo do que ao café convencional, "algumas pessoas adoram-no, outras não conseguem suportá-lo, mas é sempre uma experiência única", diz Steve Benington.

Facebook/ Viscous Coffee

Facebook/ Viscous Coffee

  • Marine devolve bandeira do Japão 73 anos depois 
    2:13

    Mundo

    Setenta e três anos depois da batalha mais sangrenta do Pacífico, um veterano dos Estados Unidos cumpriu uma promessa pessoal. Marvin Strombo devolveu à família a bandeira da sorte de um soldado japonês, morto em 1944, em Saipan, na II Guerra Mundial. 

  • Autoridades usam elefantes para resgatar pessoas das cheias na Ásia
    1:31

    Mundo

    Mais de 215 pessoas morreram nas inundações que estão a devastar o centro da Ásia, e estima-se que três milhões tiveram de abandonar as casas. As autoridades estão a usar elefantes para resgatar locais e turistas das zonas mais afetadas e avisam que há dezenas de pessoas desaparecidas.