sicnot

Perfil

Mundo

Operação Lava Jato prorrogada por mais um ano

O Conselho Superior do Ministério Público Federal (CSMPF) decidiu esta terça-feira prorrogar por mais um ano a Operação Lava Jato, que investiga o maior esquema de corrupção da história do Brasil.

Em comunicado, a Procuradoria-Geral da República indicou que "as forças-tarefas que atuam na Operação Lava Jato em Curitiba e no Rio de Janeiro" terão "duração de mais um ano, prazo contado a partir do dia 08 deste mês".

Iniciada em março de 2014, a Operação Lava Jato, que já deflagrou 33 etapas, levando a prisões de políticos e importantes empresários, conta com onze procuradores e três colaboradores em Curitiba.

A equipa do Rio de Janeiro, que reúne três procuradores, começou a trabalhar em junho deste ano, para tratar de desdobramentos da Lava Jato naquele estado brasileiro, que envolvem a estatal Electronuclear e desvios na obra da central nuclear Angra 3.

A Lava Jato investiga várias empresas, com destaque para a petrolífera brasileira Petrobras, alvo de fraudes.

Entre as empresas já implicadas no caso estão também grandes empreiteiras, como a Camargo Corrêa, OAS, Queiroz Galvão e Odebrecht.

Entre os investigados contam-se dezenas de políticos, incluindo o ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, empresários, executivos, operadores financeiros e doleiros.

A primeira fase internacional da Lava Jato decorreu em Portugal em março, quando Raul Schmidt, sócio de um antigo diretor da Petrobras, foi detido em Lisboa.

Lusa

  • Mação volta a enfrentar dias de pânico
    3:33
  • Fogo obrigou à evacuação de 6 aldeias do concelho do Sardoal
    1:56

    País

    O incêndio que chegou ao Sardoal obrigou à evacuação de seis aldeias. As pessoas foram encaminhadas para as instalações da Santa Casa da Misericórdia e vão regressando ao longo do dia de hoje. A A23 foi reaberta de madrugada, depois de ter estado várias horas cortada nos dois sentidos .

  • Ministra admite que a maioria dos incêndios começaram por mão humana
    1:57

    País

    A Ministra da Administração Interna admitiu esta quarta-feira que a maioria dos incêndios deste ano começaram por mão humana, mas Constança Urbano de Sousa entende que é cedo para tirar outras conclusões. Já o vice-presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses, Adelino Gomes, diz que não há duvidas e fala em terrorismo organizado. 

  • Sismo na região de Lisboa sentido num raio de 150km
    3:19