sicnot

Perfil

Mundo

Avião com destino à Malásia aterrou por engano em Melbourne

© Edgar Su / Reuters

Com 212 pessoas a bordo, um avião aterrou por engano em Melbourne, em vez de Kuala Lumpur. Isto aconteceu depois do capitão colocar as coordenadas erradas.

O voo A330 estava agendado para partir do Aeroporto Internacional de Sidney às 11:55 no dia 10 de março de 2015, prevendo que chegasse a Kuala Lumpur nove horas depois. Contudo, a combinação entre coordenadas erradas, uma tripulação que ignorou os avisos do sistema e o mau tempo em Sidney, levou o avião a aterrar em Melbourne depois das 14:00.

O Aeroporto de Melbourne fica a 722 quilómetros de Sidney, enquanto o de Kuala Lumpur fica a 6.611 quilómetros.

Segundo um relatório publicado esta quarta-feira pelo Departamento de Segurança nos Transportes da Austrália, o problema aconteceu quando o capitão e o oficial foram obrigados a trocar de lugar. Normalmente, o capitão teria de fazer uma inspeção externa do avião, enquanto o oficial deveria ficar no cockpit a completar os procedimentos precisos para o avião levantar voo.

Contudo, neste dia, o capitão e o oficial trocaram de lugares, levando o capitão a introduzir as coordenadas erradas. Os membros da tripulação tiveram "muitas oportunidades para identificar e corrigir o erro", dizia o relatório. No entanto, a tripulação não percebeu o erro até o avião estar no ar e começar a viajar na direção errada. Várias mensagens de alerta deram a conhecer o erro antes da partida, mas a tripulação escolheu ignorar os avisos.

O relatório concluiu que até a tripulação não está imune aos erros de introdução de dados no sistema e aconselhou a companhia aérea a fazer um upgrade dos seus sistemas de voo.

  • Incêndio de Setúbal "quase dominado"
    4:04

    País

    O incêndio que deflagrou segunda-feira em Setúbal está "quase dominado", segundo informações da presidente da Câmara. Maria das Dores Meira diz que não há feridos a registar e que os habitantes já vão regressando a casa. Para ajudar no combate ao fogo foram enviados meios de Lisboa.

  • "Lancei um tema que os portugueses há muito queriam discutir"
    11:26
  • Danos Colaterais 
    18:55
    Reportagem Especial

    Reportagem Especial

    Jornal da Noite

    Nos últimos oito anos a banca perdeu 12 mil profissionais. A dimensão de despedimentos no setor é a segunda maior da economia portuguesa, só ultrapassada pela construção civil. A etapa mais complexa da história começou em 2008, com a nacionalização do BPN. Desde então, as saídas têm sido a regra. A reportagem especial desta terça-feira, "Danos Colaterais", dá voz aos despedidos da banca.