sicnot

Perfil

Mundo

Turquia permite visita da família ao líder detido do PKK

As autoridades turcas vão permitir que a família do líder detido do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), Abdullah Ocalan, o visite na prisão pela primeira vez em dois anos, referiram hoje os média oficiais.

A sua família será autorizada a encontrar-se com Ocalan na prisão de alta segurança na ilha-prisão de Imrali, arredores de Istambul, no decurso do feriado islâmico do Eid al-Adha que se inicia na próxima semana, referiu a agência noticiosa oficial Anadolu.

Os média turcos precisaram que esta será a primeira visita autorizada à família de Ocalan desde 06 de outubro de 2014. A Anadolu disse que Ocalan se vai encontrar com o seu irmão Mehmet.

Esta autorização foi anunciada quando um grupo de 50 ativistas curdos, incluindo deputados ao parlamento de Ancara, cumpre o sexto dia de uma greve de fome na cidade de Diyarbakir (sudeste), em protesto contra a ausência de informações sobre a situação de Ocalan, incluindo o seu estado de saúde.

Ocalan esteve na fundação do movimento armado curdo em 1978, que pretendia mais direitos para a importante e discriminada população curda da Turquia, e dirigiu a partir de 1984 uma rebelião armada contra o regime de Ancara.

Acabou por ser detido em 1999 pelos serviços secretos turcos, em Nairobi, no Quénia, uma operação com o apoio da agência norte-americana CIA.

O líder curdo foi condenado à morte, sentença comutada em prisão perpétua em 2002, quando a Turquia aboliu a pena máxima.

Ocalan manteve conservações com responsáveis oficiais que implicaram a declaração de um cessar-fogo pelo PKK em 2013, prolongado até meados de 2015, quando recomeçaram os confrontos no sudeste da Turquia, região com maioria de população curda.

O líder detido do PKK reunia-se regularmente com uma delegação do pró-curdo Partido Democrático dos Povos (HDP), mas a última visita ocorreu em abril de 2015.

A última visita oficial a Ocalan foi protagonizada por uma delegação do Comité para a prevenção da tortura (CPT) do Conselho da Europa em abril de 2016. Foi então referido que permanecem apenas quatro detidos em Imrali, no mar de Mármara.

Lusa

  • Leão de Ouro de Souto de Moura faz "muito bem à alma" dos portugueses
    1:53
  • "Sonho com um futuro melhor", o desejo de um jovem sírio em Portugal
    2:12

    País

    Mais de 50 jovens sírios chegaram esta madrugada a Lisboa, para iniciarem o novo ano letivo, em Portugal. Sonham com um futuro melhor. Sonham com uma educação melhor. Os 54 estudantes vieram ao abrigo do programa lançado pelo antigo Presidente da República, Jorge Sampaio, que nos últimos anos já deu uma nova oportunidade a cerca de 200 alunos.

  • Na linha do triunfo
    16:49
  • Chamas do incêndio no Europa Park na Alemanha atingiram os 15 metros de altura
    0:57