sicnot

Perfil

Mundo

Turquia permite visita da família ao líder detido do PKK

As autoridades turcas vão permitir que a família do líder detido do Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK), Abdullah Ocalan, o visite na prisão pela primeira vez em dois anos, referiram hoje os média oficiais.

A sua família será autorizada a encontrar-se com Ocalan na prisão de alta segurança na ilha-prisão de Imrali, arredores de Istambul, no decurso do feriado islâmico do Eid al-Adha que se inicia na próxima semana, referiu a agência noticiosa oficial Anadolu.

Os média turcos precisaram que esta será a primeira visita autorizada à família de Ocalan desde 06 de outubro de 2014. A Anadolu disse que Ocalan se vai encontrar com o seu irmão Mehmet.

Esta autorização foi anunciada quando um grupo de 50 ativistas curdos, incluindo deputados ao parlamento de Ancara, cumpre o sexto dia de uma greve de fome na cidade de Diyarbakir (sudeste), em protesto contra a ausência de informações sobre a situação de Ocalan, incluindo o seu estado de saúde.

Ocalan esteve na fundação do movimento armado curdo em 1978, que pretendia mais direitos para a importante e discriminada população curda da Turquia, e dirigiu a partir de 1984 uma rebelião armada contra o regime de Ancara.

Acabou por ser detido em 1999 pelos serviços secretos turcos, em Nairobi, no Quénia, uma operação com o apoio da agência norte-americana CIA.

O líder curdo foi condenado à morte, sentença comutada em prisão perpétua em 2002, quando a Turquia aboliu a pena máxima.

Ocalan manteve conservações com responsáveis oficiais que implicaram a declaração de um cessar-fogo pelo PKK em 2013, prolongado até meados de 2015, quando recomeçaram os confrontos no sudeste da Turquia, região com maioria de população curda.

O líder detido do PKK reunia-se regularmente com uma delegação do pró-curdo Partido Democrático dos Povos (HDP), mas a última visita ocorreu em abril de 2015.

A última visita oficial a Ocalan foi protagonizada por uma delegação do Comité para a prevenção da tortura (CPT) do Conselho da Europa em abril de 2016. Foi então referido que permanecem apenas quatro detidos em Imrali, no mar de Mármara.

Lusa

  • O percurso dos rendimentos de Ronaldo
    3:43

    Desporto

    O Ministério das Finanças espanhol abriu uma investigação a Cristiano Ronaldo, por eventuais irregularides na declaração dos rendimentos da publicidade. A Gestifute, empresa do agente do avançado do Real Madrid, garante que Ronaldo tem os impostos em dia. A investigação aos documentos extraídos da plataforma informática Football Leaks, liderada pela revista alemã Der Spiegel, e da qual faz parte o jornal Expresso, conseguiu traçar o percurso dos rendimentos do melhor jogador do mundo.

  • Fábio Coentrão investigado por suspeita de delitos fiscais
    3:37

    Desporto

    O Ministério Público de Madrid acusou o defesa português Ricardo Carvalho de evasão fiscal e está a investigar Fábio Coentrão por eventuais delitos fiscais. Além dos dois portugueses a justiça acusou ainda o espanhol Xabi Alonso, o argentino Ángel Di María e investiga o colombiano Falcão. As investigações surgem depois da revelação do caso Football Leaks, investigada pelo Expresso e pelo consórcio europeu de jornalistas que tiveram acesso a milhões de documentos.

  • Mais cinco ilhas dos Açores sob aviso vermelho

    País

    O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) elevou esta quarta-feira para vermelho o aviso para as cinco ilhas do grupo central dos Açores, onde no Faial o vento atingiu os 150 quilómetros por hora.

  • Uma alternativa aos serviços de enfermagem ao domicílio
    7:34
  • As primeiras palavras de um dos sobreviventes da Chapecoense
    0:29
  • Familiares de vítimas procuram destroços do MH370
    1:48

    Voo MH370

    Um grupo de familiares das vítimas do avião das linhas aéreas da Malásia, desaparecido em 2014, procuram destroços do aparelho em Madagáscar. As autoridades malaias estudam a posssibilidade de uma nova operação de buscas.

  • Primeiro-ministro em lágrimas ao reencontrar refugiado que recebeu no Canadá em 2015

    Mundo

    Justin Trudeau desfez-se em lágrimas no reencontro com um refugiado sírio, que ele recebeu no Canadá em 2015. No ano passado, Trudeau recebeu pessoalmente os refugiados no aeroporto, onde foi visto a entregar casacos de inverno aos migrantes. Esta segunda-feira, o primeiro-ministro conheceu algumas das famílias que se estabeleceram no país, numa reunião filmada pela emissora canadiana CBC.