sicnot

Perfil

Mundo

Atentado suicida no Iémen mata 10 soldados e fere outros 14

Pelo menos 10 soldados morreram e outros 14 ficaram feridos num atentado suicida no sul do Iémen, onde os movimentos jihadistas são muito ativos, indicou hoje fonte dos serviços de segurança iemenitas.

O ataque, perpetrado por um kamikaze ao volante de uma viatura armadilhada, teve como alvo uma posição do exército do Presidente Abd Rabbo Mansour Hadi em Al-Wadie, localidade na província de Abyane, acrescentou a fonte.

No Iémen, as forças lealistas, apoiadas desde março de 2015 por uma coligação militar árabe, combatem os rebeldes, que controlam parte do território, incluindo a capital Sana (norte), e vários grupos jihadistas, implantados no sul.

Nos últimos meses, os jihadistas da Al-Qaida e do grupo Daesh multiplicaram os atentados, sobretudo em Aden (a principal cidade do sul e declarada "capital provisória" do país), apesar dos vários planos das forças governamentais para garantir a segurança nas zonas urbanas.

O último atentado reivindicado pelo Daesh, a 29 de agosto, causou a morte a 71 pessoas, quando um outro kamikaze avançou com uma viatura armadilhada contra um grupo de jovens recrutas do exército, também em Aden.

Segundo as Nações Unidas, o conflito no Iémen já causou mais de 6.600 mortos desde o início da intervenção da coligação árabe.

Lusa

  • Seca agrava prejuízos agrícolas no Alentejo
    2:11
  • Al Gore e Garry Kasparov vão estar na Web Summit

    Web Summit

    Al Gore, antigo vice-Presidente dos Estados Unidos da América, Garry Kasparov, lendário jogador de xadrez, e Steve Huffman, o dirigente e cofundador da rede social Reddit são os novos nomes anunciados para a 2.ª Web Summit em Lisboa.

  • Estudantes universitários poderiam estar a pagar propinas mais baixas
    2:02

    País

    Os alunos universtários poderiam estar a pagar propinas mais baixas do que pagam atualmente. A situação foi denunciada pela Federação Académica do Porto, que diz que os estudantes estão a pagar cerca de 100 euros a mais do que deviam. O INE admite, num documento enviado ao Governo, que pode existir um método melhor para o cálculo destes valores.