sicnot

Perfil

Mundo

Áustria adia repetição das presidenciais por problemas com boletins

O Governo da Áustria anunciou esta segunda-feira que vai pedir ao Parlamento o adiamento da repetição das eleições presidenciais, prevista para 02 de outubro, devido a um defeito de fabrico dos boletins de voto.

"Vamos pedir ao Parlamento que aprove o adiamento da eleição", disse o ministro do Interior, Wofgang Sobotka.

Entre as datas possíveis para a realização da votação, o ministro referiu 27 de novembro ou 4 de dezembro.

A decisão era esperada há vários dias devido à descoberta de um "defeito de fabrico" nos boletins do voto por correspondência, muito utilizado na Áustria, que fazia com que os envelopes se abrissem por falta de cola.

"Este problema de produção não nos permite garantir que o escrutínio decorre sem falhas do ponto de vista jurídico", disse o ministro, apresentando as desculpas do Governo aos eleitores e aos candidatos.

A votação é uma repetição da segunda volta das presidenciais, realizada a 22 de maio, invalidada por irregularidades no processo de contagem dos votos por correio.

A eleição foi vencida pelo ecologista Van der Bellen com uma escassa vantagem de 31.000 votos sobre o candidato da extrema-direita Norbert Hofer, cujo partido, FPÖ, pediu a anulação do resultado.

Lusa

  • Anulado resultado das eleições presidenciais na Áustria

    Mundo

    O Tribunal Constitucional da Áustria anunciou hoje a anulação do resultado das presidenciais de maio devido a irregularidades na contagem dos votos. O ecologista Alexander Van der Bellen venceu as eleições, com 50,3 por cento dos votos, contra o candidato de extrema-direita, Norbert Hofer. Esta decisão sem precedentes, que valida o recurso interposto pelo partido FPO de Hofer, abre caminho à realização de novas eleições no outono.

  • Novo Banco vai reestruturar dívida de Luís Filipe Vieira
    1:22

    Desporto

    O Novo Banco vai reestruturar parte da dívida da empresa de Luís Filipe Vieira, que ronda os 400 milhões de euros. Parte dos ativos da empresa foram transferidos para um fundo para serem rentabilizados no prazo de cinco anos. Esse fundo está a ser gerido pelo vice-presidente do Benfica.

  • Dono de fábrica que ardeu na Anadia diz que produção não vai ser afetada
    2:04
  • Saco azul do BES pagou a 106 pessoas e 96 avenças ocultas
    2:21

    Economia

    Pelo menos 106 pessoas receberam dinheiro da Espírito Santo Enterprises, a companhia offshore criada nas Ilhas Virgens Britânicas e que terá funcionado como um gigantesco saco azul do Grupo Espírito Santo. O jornal Expresso revelou os primeiros vinte nomes da lista, entre os quais estão Zeinal Bava, antigo CEO da PT, e Manuel Pinho, ex-ministro da economia do Governo de José Sócrates.

  • Tragédia em Vila Nova da Rainha aconteceu há uma semana
    7:18
  • Doze meses de polémicas, ameaças e promessas
    3:52