sicnot

Perfil

Mundo

Áustria adia repetição das presidenciais por problemas com boletins

O Governo da Áustria anunciou esta segunda-feira que vai pedir ao Parlamento o adiamento da repetição das eleições presidenciais, prevista para 02 de outubro, devido a um defeito de fabrico dos boletins de voto.

"Vamos pedir ao Parlamento que aprove o adiamento da eleição", disse o ministro do Interior, Wofgang Sobotka.

Entre as datas possíveis para a realização da votação, o ministro referiu 27 de novembro ou 4 de dezembro.

A decisão era esperada há vários dias devido à descoberta de um "defeito de fabrico" nos boletins do voto por correspondência, muito utilizado na Áustria, que fazia com que os envelopes se abrissem por falta de cola.

"Este problema de produção não nos permite garantir que o escrutínio decorre sem falhas do ponto de vista jurídico", disse o ministro, apresentando as desculpas do Governo aos eleitores e aos candidatos.

A votação é uma repetição da segunda volta das presidenciais, realizada a 22 de maio, invalidada por irregularidades no processo de contagem dos votos por correio.

A eleição foi vencida pelo ecologista Van der Bellen com uma escassa vantagem de 31.000 votos sobre o candidato da extrema-direita Norbert Hofer, cujo partido, FPÖ, pediu a anulação do resultado.

Lusa

  • Anulado resultado das eleições presidenciais na Áustria

    Mundo

    O Tribunal Constitucional da Áustria anunciou hoje a anulação do resultado das presidenciais de maio devido a irregularidades na contagem dos votos. O ecologista Alexander Van der Bellen venceu as eleições, com 50,3 por cento dos votos, contra o candidato de extrema-direita, Norbert Hofer. Esta decisão sem precedentes, que valida o recurso interposto pelo partido FPO de Hofer, abre caminho à realização de novas eleições no outono.

  • Bataglia deixou passar 12 milhões pela sua conta a pedido de Salgado
    2:05

    Operação Marquês

    O presidente da Escom e arguido na Operação Marquês Helder Bataglia terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, amigo de José Sócrates. O amigo de Sócrates e Bataglia terão combinado várias formas de não levantar suspeitas. A notícia é avançada pelo jornal Expresso na edição deste sábado.

  • Cágado tratado com implante impresso em 3D
    2:26
  • Patrões não aceitam alterações ao acordo de concertação social
    2:25

    Economia

    As confederações patronais foram esta sexta-feira ao Palácio de Belém dizer ao Presidente da República que não aceitam que o Parlamento faça alterações ao acordo de concertação social. Os patrões dizem ainda ter esperança que o Parlamento não chumbe o decreto-lei que reduz a TSU das empresas com salários mínimos.