sicnot

Perfil

Mundo

China culpa EUA pelo mais recente teste nuclear da Coreia do Norte

A China acusou hoje os EUA de serem responsáveis pelo aumento da tensão com a Coreia do Norte, que efetuou o seu quinto teste nuclear na passada sexta-feira, acusando Washington de ter "iniciado o problema".

"Este conflito não está relacionado com a China, mas sim com os Estados Unidos", sublinhou hoje uma porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros chinês, Hua Chunying, numa conferência de imprensa, em Pequim.

A Coreia do Norte levou a cabo a sua quinta explosão atómica, a mais forte até à data e a segunda este ano e que, segundo a televisão norte-coreana, permitiu testar com sucesso a instalação de uma ogiva nuclear num míssil balístico.

A porta-voz chinesa defendeu hoje que Pequim, o principal aliado da Coreia do Norte, levou a cabo "esforços incansáveis para resolver este assunto" e "encontrar uma solução a longo prazo", condenando as ações "unilaterais", que dificultaram as negociações.

A China é contra os planos de Washington de instalar o escudo antimíssil THAAD na Coreia do Sul, em resposta ao programa nuclear e de desenvolvimento de mísseis balísticos norte-coreano, acusando-o de ser uma ameaça ao seu território.

O país asiático refutou ainda as acusações dos EUA, de que não está a fazer o suficiente para pressionar Pyongyang, como disse na semana passada o secretário norte-americano da Defesa, Ashton Carter, que atribuiu a Pequim "grande responsabilidade" pelo último teste nuclear da Coreia do Norte.

"Carter está a ser desnecessariamente humilde", ironizou Hua, ao reiterar que a culpa é dos EUA.

A porta-voz evitou pronunciar-se se a China vai impor mais sanções contra Pyongyang, depois de o Conselho de Segurança da ONU ter anunciado que vai estudar uma nova resolução contra o país, em resposta às últimas "provocações".

Em março passado, Pequim aprovou as sanções contra a Coreia do Norte, as mais severas adotadas pela ONU em 20 anos.

"Uma vez mais, apelamos a todas as partes que tenham uma visão a longo prazo", sublinhou Hua, acrescentando que "se provou que as sanções não podem resolver tudo por si sós".

Hua Chunying apelou ainda para que se resolva o diferendo através das negociações a seis partes, um processo interrompido durante um longo período e que conta com as duas Coreias, Rússia, China, Japão e Estados Unidos.

Lusa

  • A rã que brilha no escuro
    2:08
  • Indonésio encontrado dentro de cobra pitão

    Mundo

    Akbar Salubiro, de 25 anos, esteve perto de 24 horas desaparecido na remota ilha indonésia de Sulawesi. Acabou por ser encontrado um dia depois, no jardim da própria casa, dentro de uma pitão de 7 metros.