sicnot

Perfil

Mundo

Grandes terramotos são mais prováveis quando há Lua nova ou cheia

© Asahi Shimbun / Reuters

Os grandes terramotos são mais prováveis quando há marés altas ou vivas, isto é, nas fases de Lua nova ou Lua cheia, segundo um estudo publicado esta segunda-feira na revista Nature Geoscience.

Uma equipa dirigida pelo académico japonês Satoshi Ide, da Universidade de Tóquio, realizou experiências que fornecem provas práticas deste fenómeno, que até agora se intuía mas sem ter sido demonstrado.

Satoshi Ide e os colegas recriaram o tamanho e a amplitude da "força de maré" - um efeito da força da gravidade que é responsável pela existência das marés - registada nas duas semanas anteriores a vários grandes terramotos (com magnitudes de 5,5 ou superiores).

Os cientistas identificaram uma correlação entre as forças de maré e os grandes terramotos, embora não a tenham detetado com os sismos de pequena intensidade.

Comprovaram que grandes terramotos como o de Sumatra (Indonésia) em 204, Maule (Chile) em 2010 e Tohoku-oki (Japão) em 2011 ocorreram em momentos de uma grande amplitude da força de maré alta.

A equipa de investigadores descobriu igualmente que a proporção de grandes terramotos, em comparação com os pequenos, aumenta em relação direta com os aumentos da amplitude da força de maré.

A ciência não conseguiu ainda explicar totalmente como se iniciam e como se desenrolam os grandes sismos, mas crê-se que aumentam em cascata, a partir de uma fratura pequena numa placa tectónica que se transforma numa grande greta.

Os autores do estudo sublinham na Nature Geoscience que, se tal é assim, o seu estudo indica que a probabilidade de que uma pequena fratura alastre até se tornar uma grande fresta aumenta durante as marés altas ou vivas.

Em consequência, um maior conhecimento da força de marés em regiões sísmicas poderá contribuir para uma melhor previsão da probabilidade de ocorrência de terramotos, sustentam os cientistas.

Lusa

  • Porque acontecem os sismos

    Sismo em Itália

    A crosta terrestre está dividida em várias placas rígidas que estão em constante movimento. Quando estas placas chocam, crescem esforços de deformação nas rochas e nesses pontos acontecem os grandes terramotos.

  • Lua e Sol causam terramotos na Califórnia

    Mundo

    A atração gravitacional da Lua e do Sol podem causar terramotos de baixa frequência na Falha de Santo André, na Califórnia. É a conclusão de um estudo publicado na Proceedings of the National Academy of Sciences, segundo o qual esta "dança" entre o Sol e a Lua poderá ajudar a prever grandes sismos na região.

  • Relatório pedido pelo Governo PSD-CDS já apontava falhas no SIRESP
    2:26
  • Proteção Civil aponta falhas do SIRESP, operadora diz que esteve à altura do fogo
    4:22
  • Temer pode cair menos de um ano depois da queda de Dilma
    3:06
  • Imagens do resgate de crianças feridas num bombardeamento na Síria
    2:00

    Mundo

    Os Estados Unidos acusam o regime sírio de estar a preparar um novo ataque químico e avisam Bashar al-Assad que vai pagar caro se o concretizar. No terreno, os ataques aéreos continuam a fazer vítimas civis. Da periferia de Damasco chegam imagens dramáticas do resgate de duas crianças feridas num bombardeamento.

  • Mulher atira moedas para o motor do avião por superstição

    Mundo

    As superstições levam as pessoas a fazer coisas bizarras e até, mesmo, perigosas. Este foi o caso de uma mulher chinesa que decidiu atirar moedas para o motor de um avião, para garantir boa sorte na viagem, que estava prestes a fazer. Contudo, a ação obrigou ao atraso do voo que partia de Xangai, numa companhia aérea chinesa.

  • Modelo italiana atacada com ácido volta ao trabalho

    Mundo

    Gessica Notaro, antiga concorrente do concurso Miss Itália, já regressou ao trabalho como treinadora de leões marinhos, cinco meses depois de ter sido atacada com ácido, alegadamento pelo ex-namorado, Jorge Edson Tavares. Gessica Notaro diz que quer inspirar e encorajar outras mulheres a lutar contra o assédio e o bullying nas relações.