sicnot

Perfil

Mundo

Conselho da Segurança apoia por unanimidade missão da ONU na Colômbia

O Conselho de Segurança da ONU aprovou esta terça-feira por unanimidade os detalhes da missão da organização que vai acompanhar a aplicação dos acordos de paz entre o Governo de Bogotá e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC).

Os 15 membros do Conselho apoiaram uma resolução que autoriza a proposta apresentada pelo secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, incluindo a "dimensão, aspetos operativos e mandato" da missão.

O texto assinala especificamente o seu apoio à proposta do secretário-geral para que a ONU partilhe com o Governo colombiano o custo das instalações e serviços que serão utilizados em conjunto pelo pessoal internacional e nacional.

É ainda reconhecida a necessidade da rápida formação do mecanismo tripartido de verificação e seguimento, enquanto a missão é autorizada a dividir equitativamente com o Executivo o apoio necessário para a preparação e gestão das zonas em que se reunirão os membros da guerrilha para a entrega do armamento e desmobilização.

Por último, o breve texto saúda as contribuições dos países que disponibilizaram observadores para a missão e assinala o desejo de garantir novas contribuições.

O Conselho de Segurança aprovou em janeiro a criação desta missão, que integrará o dispositivo internacional do mecanismo tripartido para supervisionar o cessar-fogo, e no qual também participam representantes do Governo e das FARC.

A operação inclui cerca de 450 observadores, na sua maioria latino-americanos, e com alguns já enviados para o terreno.

Em 24 de agosto o Governo de Bogotá e as FARC anunciaram um acordo que põe termo a 52 anos de conflito armado e que será assinado oficialmente em 26 de setembro na cidade colombiana de Cartagena de Índias.

No entanto, a aprovação do acordo terá de ser legitimada por um referendo que vai decorrer em 2 de outubro.

Lusa

  • PSD e CDS assinalam 36º aniversário da morte de Francisco Sá Carneiro
    1:38

    País

    O presidente do PSD deixou críticas ao Partido Comunista, este domingo, a propósito do aniversário da morte de Francisco Sá Carneiro. Pedro Passos Coelho lembrou os festejos dos comunistas na altura, numa resposta a quem questionou a abstenção dos sociais-democratas ao voto de pesar a Fidel Castro, que o PCP levou ao Parlamento. Este domingo, tanto o PSD como o CDS-PP prestaram homenagem a Sá Carneiro e Adelino Amaro da Costa.