sicnot

Perfil

Mundo

Israel nega abate de aviões militares pelas forças da Síria

O Exército israelita negou a informação avançada hoje pela Síria de que dois aviões de Israel foram abatidos após um bombardeamento contra território sírio.

Última atualização 09.42


"Durante a noite, dois mísseis terra-ar foram lançados de território sírio, depois de uma missão noturna israelita contra posições da artilharia da Síria mas, em nenhum momento, a segurança dos aviões das forças israelitas esteve comprometida", refere um comunicado oficial de Israel.

Segundo o mesmo documento, nas últimas horas, Israel atacou posições do Exército sírio na região central dos Montes Golã, respondendo a um disparo da artilharia síria contra o território controlado pelos israelitas.

Trata-se do quarto incidente do género desde a semana passada e o primeiro desde a entrada em vigor do cessar-fogo em território sírio alcançado pela Rússia e pelos Estados Unidos.

Os Montes Golã, ocupados por Israel e Síria desde 1967, são palco de tensão entre os dois países, sendo que desde o início da guerra civil síria em 2011 a situação agravou-se na região.

Antes do comunicado emitido em Jerusalém, o comando das Forças Armadas sírias afirmou que as baterias de defesa antiaérea tinham abatido um avião israelita que tinha atacado posições militares de Damasco na província de Al Quneitra, próximo do território controlado pelos israelitas nos Montes Golã.

No mesmo comunicado, o Exército sírio explicava que, além do avião, um aparelho não tripulado tinha também sido abatido a oeste da zona de Sasa.

Lusa

  • BE diz que é urgente preparar o país para a saída do euro
    1:10

    País

    Catarina Martins diz que é urgente preparar o país para o cenário de saída do euro. No final da reunião da mesa nacional do Bloco de Esquerda, a coordenadora do partido criticou o encontro de líderes europeus em Roma e disse ainda que a Europa da convergência chegou ao fim.

  • "Mais UE não significa mais Europa"
    0:50

    País

    O secretário-geral do PCP insiste nas críticas à União Europeia. Um dia depois da comemoração dos 60 anos do Tratado de Roma, Jerónimo de Sousa defendeu, no Seixal, que o modelo europeu está esgotado e prejudica vários países, incluindo Portugal.

  • Aplicação WhatsApp acusada de permitir conversas secretas entre terroristas
    1:45
  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".