sicnot

Perfil

Mundo

Ministro luxemburguês defende que Hungria deve ser suspensa da UE

O ministro dos Negócios Estrangeiros do Luxemburgo, Jean Asselborn

© Eric Vidal / Reuters

O ministro dos Negócios Estrangeiros do Luxemburgo, Jean Asselborn, defendeu hoje que a Hungria deveria ser suspensa da União Europeia por violar os seus valores fundamentais e tratar os refugiados "pior do que animais selvagens".

"Não podemos aceitar que os valores fundamentais da União Europeia estejam a ser massivamente violados", disse Asselborn ao diário alemão Die Welt, citado pela agência AFP.

As declarações sobre o governo do primeiro-ministro de direita Viktor Orban surgem nas vésperas da cimeira de Bratislava, onde os líderes do bloco europeu discutem, a partir de sexta-feira, o futuro pós-Brexit da União Europeia.

A Hungria, "hoje, não teria hipótese de se tornar membro da UE", defendeu Asselborn.

"Aqueles que, como a Hungria, levantam cercas contra refugiados de guerra, violam a liberdade de imprensa e a independência do poder judicial, deveriam ser excluídos temporariamente, ou se necessário permanentemente, da UE", acrescentou.

Asselborn referia-se à cerca, com arame farpado, que a Hungria erigiu no ano passado ao longo da sua fronteira sul para impedir o forte afluxo de migrantes que se dirigem para o norte da Europa através da chamada rota dos Balcãs.

"As pessoas que estão a fugir da guerra estão quase a ser tratadas pior do que animais selvagens", disse o ministro, acrescentando que "a Hungria não parece longe de emitir uma ordem para disparar contra refugiados".

Afirmou ainda que líderes como Orban estão a manchar a reputação da UE, dando a impressão que o bloco já não vive de acordo com os valores que defende no palco internacional.

Asselborn pediu por isso medidas nos tratados da UE que permitam facilitar a suspensão de Estados-membros, que deveria deixar de implicar um voto unânime.

Lusa

  • Eurogrupo dá luz verde ao Orçamento do Estado
    0:29

    Orçamento do Estado 2017

    O Orçamento português passou no Eurogrupo mas os ministros das Finanças alertam que podem ser precisas mais medidas para cumprir as metas e em março vão voltar a olhar para as contas. Para já, estão satisfeitos com o compromisso assumido por Mário Centeno e mais sete ministros da zona euro, cujos Orçamentos estão em risco de incumprimento.

  • Youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Reportagem da SIC "Renegados"
    1:27

    Grande Reportagem SIC

    O youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Grande Reportagem SIC "Renegados".Desde ontem já teve 67 mil visualizações no Facebook. Imagine que ia renovar o cartão de cidadão e diziam-lhe que afinal não é português? Mesmo tendo nascido, crescido, estudado e trabalhado sempre em Portugal? Foi o que aconteceu a inúmeras pessoas que nasceram depois de 1981, quando a lei da nacionalidade foi alterada.«Renegados» é como se sentem estes filhos de uma pátria que os excluiu. Para ver, esta quarta-feira, no Jornal da Noite da SIC.

  • "A nossa guerra não deixou heróis, só vilões e vítimas"
    5:26

    Mundo

    Luaty Beirão é o rosto mais visível de um movimento de contestação ao regime angolano que começou em 2011, ano da Primavera árabe. Mas a par dos 15+2, mediatizados num processo que os condenou por lerem um livro, outros activistas arriscam diariamente a liberdade. A SIC esteve em Luanda e falou com o advogado Adolfo Campos e com os músicos Carbono Casimiro, Mona Dya Kidi e David Salei. Já todos estiveram presos. Já todos foram vítimas de violência policial. Defendem que "a geração anterior comprometeu o país" e acreditam que só a mudança política pode trazer um futuro melhor. Para estes jovens activistas, a guerra que arrasou o país, e com que o regime justifica tudo, não deixou heróis, apenas "vilões e vítimas".

  • O que aconteceu à menina síria que relatava a guerra no Twitter?
    1:59