sicnot

Perfil

Mundo

ONU acusa Venezuela de impedir verificação de situação dos Direitos Humanos

O Alto Comissionado da ONU para os Direitos Humanos, Zeid Ra'ad Al Hussein, acusou esta terça-feira o Governo da Venezuela de impedir a entrada de peritos nesta matéria para monitorizar e investigar garantias básicas naquele país.

"As violações dos Direitos Humanos não vão desaparecer se um Governo bloqueia o acesso a observadores internacionais e depois investe numa campanha de relações públicas para compensar a publicidade não desejada. Muito pelo contrário (...) levantam uma pergunta óbvia: Que estarão a esconder?", disse.

Zeid Ra'ad Al Hussein falava na 33.ª sessão do Conselho de Direitos Humanos da ONU, em Genebra, durante a qual citou a Venezuela como um "dos países que adotam essa atitude" e especificou, segundo um comunicado publicado na página daquele organismo na Internet, atrasos irracionais e negociações prolongadas sem justificação, que são condenadas.

"Nos últimos dos anos e meio, a Venezuela tem-se recusado inclusive a emitir um visto ao meu representante regional. A sua prolongada recusa de acesso ao nosso pessoal é particularmente surpreendente à luz de graves preocupações com relação a acusações de repressão de vozes da oposição e de grupos da sociedade civil, de detenções arbitrárias, uso excessivo da força contra manifestações pacíficas, entre outras coisas", declarou.

Perante representantes de 190 Estados-membros, o alto comissionado lamentou que alguns Governos justifiquem a falta de cooperação em matéria de direitos humanos, dizendo que estariam a ser usados como pretexto para intervir nos assuntos soberanos das Nações.

Por outro lado, acusou a República Dominicana de se recusar a cooperar para monitorizar as "deportações forçadas de pessoas para o Haití" e a suspensão da nacionalidade dominicana a descendentes de imigrantes haitianos.

Questionou também os Estados Unidos por não aceitar o ingresso do relator especial sobre casos de tortura em Guantánamo e em permitir-lhe fazer entrevistas confidenciais.

"As táticas evasivas das autoridades norte-americanas, com pedidos segundo os mandados internacionais de Direitos Humanos, são profundamente lamentáveis", disse.

Segundo Zeid Ra'ad Al Hussein, a China é um caso extremo "de 11 anos em que as solicitudes não conseguiram um compromisso concreto" e há falta de cooperação também na Coreia do Norte, Irão, Israel e outras nações da África e do Médio Oriente.

Lusa

  • José Eduardo dos Santos há 38 anos no poder
    2:42

    Mundo

    José Eduardo dos Santos foi o segundo Presidente com mais tempo de liderança a nível mundial, quase 38 anos. Este ano, anunciou que não voltaria a concorrer às eleições, mas mantêm-se, por enquanto, como presidente do MPLA. No dia em que os angolanos foram às urnas para escolher o seu sucessor, apresentamos a vida de José Eduardo dos Santos.

  • Dono de submarino é o único suspeito da morte de jornalista sueca
    1:51

    Mundo

    A polícia dinamarquesa confirmou que o corpo decapitado encontrado junto ao mar, perto de Copenhaga, é o da jornalista sueca desaparecida há mais de 10 dias. Kim Wall estava a fazer uma reportagem sobre um submarino artesanal com o criador, que é agora o principal suspeito do crime. Parte do corpo foi encontrada na segunda-feira e identificada através de exames de ADN.