sicnot

Perfil

Mundo

ONU acusa Venezuela de impedir verificação de situação dos Direitos Humanos

O Alto Comissionado da ONU para os Direitos Humanos, Zeid Ra'ad Al Hussein, acusou esta terça-feira o Governo da Venezuela de impedir a entrada de peritos nesta matéria para monitorizar e investigar garantias básicas naquele país.

"As violações dos Direitos Humanos não vão desaparecer se um Governo bloqueia o acesso a observadores internacionais e depois investe numa campanha de relações públicas para compensar a publicidade não desejada. Muito pelo contrário (...) levantam uma pergunta óbvia: Que estarão a esconder?", disse.

Zeid Ra'ad Al Hussein falava na 33.ª sessão do Conselho de Direitos Humanos da ONU, em Genebra, durante a qual citou a Venezuela como um "dos países que adotam essa atitude" e especificou, segundo um comunicado publicado na página daquele organismo na Internet, atrasos irracionais e negociações prolongadas sem justificação, que são condenadas.

"Nos últimos dos anos e meio, a Venezuela tem-se recusado inclusive a emitir um visto ao meu representante regional. A sua prolongada recusa de acesso ao nosso pessoal é particularmente surpreendente à luz de graves preocupações com relação a acusações de repressão de vozes da oposição e de grupos da sociedade civil, de detenções arbitrárias, uso excessivo da força contra manifestações pacíficas, entre outras coisas", declarou.

Perante representantes de 190 Estados-membros, o alto comissionado lamentou que alguns Governos justifiquem a falta de cooperação em matéria de direitos humanos, dizendo que estariam a ser usados como pretexto para intervir nos assuntos soberanos das Nações.

Por outro lado, acusou a República Dominicana de se recusar a cooperar para monitorizar as "deportações forçadas de pessoas para o Haití" e a suspensão da nacionalidade dominicana a descendentes de imigrantes haitianos.

Questionou também os Estados Unidos por não aceitar o ingresso do relator especial sobre casos de tortura em Guantánamo e em permitir-lhe fazer entrevistas confidenciais.

"As táticas evasivas das autoridades norte-americanas, com pedidos segundo os mandados internacionais de Direitos Humanos, são profundamente lamentáveis", disse.

Segundo Zeid Ra'ad Al Hussein, a China é um caso extremo "de 11 anos em que as solicitudes não conseguiram um compromisso concreto" e há falta de cooperação também na Coreia do Norte, Irão, Israel e outras nações da África e do Médio Oriente.

Lusa

  • Encontrado corpo de mariscador desaparecido no Barreiro

    País

    O corpo do homem com cerca de 50 anos apareceu esta manhã junto ao Clube Naval do Barreiro, na mesma zona onde tinha desaparecido na noite deste sábado. A informação já foi confirmada à SIC pela Polícia Marítima, que adiantou que o corpo já foi levado para a morgue. O alerta foi dado por volta das 22:30 de ontem pelos companheiros de nacionalidade chinesa que estavam com a vítima na apanha de bivalves na margem sul do Tejo.

  • Mais de duas mil pessoas retiradas do fogo junto ao parque Doñana, no Sul de Espanha

    Mundo

    O incêndio florestal começou ainda na noite deste sábado na aldeia de Las Peñuelas de Moguer, na província de Huelva e obrigou à evacuação de várias localidades e à retirada de mais de duas mil pessoas, de vários alojamentos turísticos (incluindo o Parador de Mazagon, dois parques de campismo e um hotel). Foi ainda ativado o plano de emergência da província.

  • Portugal "precisa avançar no trabalho" para reduzir crédito malparado
    1:36

    Economia

    Bruxelas recomenda e insiste que o Governo português avance no trabalho para resolver o crédito malparado. Em entrevista à SIC e ao Expresso, o vice-Presidente da Comissão para o Euro e Estabilidade Financeira, Valdis Dombrovskis, adianta que Bruxelas está também a preparar um Plano de Ação ao nível europeu.

    Entrevista SIC/Expresso

  • Líder do Daesh abatido durante fuga

    Daesh

    Um líder do Daesh e o assistente foram abatidos pela polícia iraquiana, em Mossul. A notícia é avançada pela agência EFE que esclarece que os dois homens terão sido mortos enquanto fugiam do Oeste para Este da cidade iraquiana através do rio Tigre.