sicnot

Perfil

Mundo

ONU acusa Venezuela de impedir verificação de situação dos Direitos Humanos

O Alto Comissionado da ONU para os Direitos Humanos, Zeid Ra'ad Al Hussein, acusou esta terça-feira o Governo da Venezuela de impedir a entrada de peritos nesta matéria para monitorizar e investigar garantias básicas naquele país.

"As violações dos Direitos Humanos não vão desaparecer se um Governo bloqueia o acesso a observadores internacionais e depois investe numa campanha de relações públicas para compensar a publicidade não desejada. Muito pelo contrário (...) levantam uma pergunta óbvia: Que estarão a esconder?", disse.

Zeid Ra'ad Al Hussein falava na 33.ª sessão do Conselho de Direitos Humanos da ONU, em Genebra, durante a qual citou a Venezuela como um "dos países que adotam essa atitude" e especificou, segundo um comunicado publicado na página daquele organismo na Internet, atrasos irracionais e negociações prolongadas sem justificação, que são condenadas.

"Nos últimos dos anos e meio, a Venezuela tem-se recusado inclusive a emitir um visto ao meu representante regional. A sua prolongada recusa de acesso ao nosso pessoal é particularmente surpreendente à luz de graves preocupações com relação a acusações de repressão de vozes da oposição e de grupos da sociedade civil, de detenções arbitrárias, uso excessivo da força contra manifestações pacíficas, entre outras coisas", declarou.

Perante representantes de 190 Estados-membros, o alto comissionado lamentou que alguns Governos justifiquem a falta de cooperação em matéria de direitos humanos, dizendo que estariam a ser usados como pretexto para intervir nos assuntos soberanos das Nações.

Por outro lado, acusou a República Dominicana de se recusar a cooperar para monitorizar as "deportações forçadas de pessoas para o Haití" e a suspensão da nacionalidade dominicana a descendentes de imigrantes haitianos.

Questionou também os Estados Unidos por não aceitar o ingresso do relator especial sobre casos de tortura em Guantánamo e em permitir-lhe fazer entrevistas confidenciais.

"As táticas evasivas das autoridades norte-americanas, com pedidos segundo os mandados internacionais de Direitos Humanos, são profundamente lamentáveis", disse.

Segundo Zeid Ra'ad Al Hussein, a China é um caso extremo "de 11 anos em que as solicitudes não conseguiram um compromisso concreto" e há falta de cooperação também na Coreia do Norte, Irão, Israel e outras nações da África e do Médio Oriente.

Lusa

  • "Às vezes o senhor primeiro-ministro irrita-me um bocadinho"
    2:05

    País

    O Presidente da República disse esta quinta-feira de manhã que António Costa é "irritantemente otimista" por teimar em "ver violeta-rosa onde há roxo". Marcelo Rebelo de Sousa recordou ainda Mário Soares numa aula no Colégio Moderno, em Lisboa.

  • Montenegro nunca será candidato contra Passos
    0:50
  • Cientistas testam útero artificial em cordeiros prematuros

    Mundo

    Um grupo de cientistas desenvolveu um útero artificial - o Biobag - que se assemelha a uma bolsa de plástico e que ajuda no desenvolvimento de cordeiros prematuros. O método foi testado nestes animais mas os cientistas do Hospital Pediátrico de Filadélfia, nos Estados Unidos, garantem que poderá vir a ser utilizado também em bebés que nascem prematuros.

  • Exame ao sangue descobre cancro um ano antes do reaparecimento

    Mundo

    Uma equipa de investigadores britânicos descobriu uma maneira de identificar o regresso do cancro, com um ano de antecedência. Através de um exame ao sangue, a equipa conseguiu identificar os primeiros sinais da doença, uma série de células invisíveis ao raio-X e à TAC. A descoberta pode vir a permitir tratar o cancro mais cedo e, como resultado, poderá aumentar as chances de o curar.

  • Casados há 69 anos, morrem de mãos dadas com 40 minutos de diferença

    Mundo

    Isaac Vatkin, de 91 anos, morreu cerca de 40 minutos depois de Teresa, de 89 anos, no passado sábado no Highland Park Hospital, no estado norte-americano Ilinóis. "Não queríamos que fossem embora, mas não podíamos pedir que partíssem de melhor maneira", afirmou o neto William Vatkin. O casal morreu no hospital poucos dias depois de celebrarem 69 anos de casados.

  • Trump cria linha de apoio a vítimas de "extraterrestres criminosos"

    Mundo

    Quando o Governo norte-americano usa o termo "extraterrestre criminoso", refere-se a alguém que não é cidadão dos Estados Unidos da América e que foi condenado por um crime. Quando a mesma expressão é usada pelos utilizadores do Twitter, o significado é completamente diferente. Os internautas pensam na série Ficheiros Secretos e em discos voadores. Por isso, o lançamento de uma linha telefónica, por parte da Casa Branca, para as vítimas de "extraterrestres criminosos" só podia dar em confusão.